Revista Rua

Apreciar. Made In

Bosch: Um império com carimbo bracarense

O gigante alemão ultrapassou pela primeira vez a barreira dos 70 mil milhões de euros. Aposta em equipamentos modernos e tecnologias de ponta.

Andreia Filipa Ferreira

Texto: Andreia Filipa Ferreira |

O gigante alemão ultrapassou pela primeira vez a barreira dos 70 mil milhões de euros. Aposta em equipamentos modernos e tecnologias de ponta.

Primeiro, lancemos os números: 3500 colaboradores, uma taxa de exportação que atinge os 90% da sua produção, 811 milhões de euros em vendas durante 2014 (os dados de 2015 aguardam confirmação oficial) e uma perspetiva de alcançar os mil milhões de euros já em 2016. Depois, os nomes: Bosch Termotecnologia, em Aveiro, Bosch Security Systems, em Ovar, e Bosch Car Multimedia Portugal, em Braga. São estas ramificações do Grupo Bosch que marcam presença em Portugal, contribuindo para que a empresa multinacional se sagre líder mundial no fornecimento de tecnologia. Braga apresenta-se como um dos palcos de atuação da Bosch, desde 1990, altura em que a produção de autorrádios para a marca Blaupunkt deu o tiro de partida para um negócio que seria um dos principais motores do desenvolvimento regional e um dos mais importantes exportadores nacionais. Hoje, 25 anos após o início, a Bosch Car Multimedia Portugal, a operar no número 35 da Rua Max Grundig, em Lomar, carrega a responsabilidade de manter elevada a boa reputação da tecnologia desenvolvida e produzida em solo português e exportada a nível mundial. 

 

O gigante alemão

 

Composto pela Robert Bosch GmbH e cerca de 360 subsidiárias e empresas regionais presentes em aproximadamente 50 países, o Grupo Bosch tem sede na cidade alemã de Estugarda e destaca-se através de um ramo de ação vasto no que diz respeito a segmentos de engenharia e eletrónica. Dividindo as suas operações em quatro áreas de negócio, nomeadamente Soluções de Mobilidade, Tecnologia Industrial, Bens de Consumo e Tecnologia de Energia e de Construção, a Bosch mantém ativas cerca de 200 unidades fabris em todo o mundo, incluindo Portugal. 

Com o objetivo de desenvolver produtos e serviços que melhorem a qualidade de vida das pessoas, através de soluções inovadoras, a empresa multinacional conta com uma grande equipa de investigação e desenvolvimento, a rondar os 55 mil colaboradores espalhados por várias nações. Só em 2015, a Bosch investiu mais de seis milhões de euros na área de Investigação e Desenvolvimento (I&D) e afirma ter registado mais de cinco mil patentes. Quanto aos lucros gerais, de acordo com os resultados preliminares divulgados, o gigante alemão ultrapassou pela primeira vez a barreira dos 70 mil milhões de euros. 

Com uma perspetiva de crescimento e uma aposta constante no desenvolvimento de tecnologias úteis ao quotidiano, o Grupo Bosch já lançou para o mercado inúmeros produtos para o mundo conectado em que vivemos, criando soluções para mobilidade conectada, indústria conectada, sistemas de energia conectados e edifícios conectados, através de tecnologias que operam com sensores e softwares

Primeiro, lancemos os números: 3500 colaboradores, uma taxa de exportação que atinge os 90% da sua produção, 811 milhões de euros em vendas durante 2014 (os dados de 2015 aguardam confirmação oficial) e uma perspetiva de alcançar os mil milhões de euros já em 2016. Depois, os nomes: Bosch Termotecnologia, em Aveiro, Bosch Security Systems, em Ovar, e Bosch Car Multimedia Portugal, em Braga. São estas ramificações do Grupo Bosch que marcam presença em Portugal, contribuindo para que a empresa multinacional se sagre líder mundial no fornecimento de tecnologia. Braga apresenta-se como um dos palcos de atuação da Bosch, desde 1990, altura em que a produção de autorrádios para a marca Blaupunkt deu o tiro de partida para um negócio que seria um dos principais motores do desenvolvimento regional e um dos mais importantes exportadores nacionais. Hoje, 25 anos após o início, a Bosch Car Multimedia Portugal, a operar no número 35 da Rua Max Grundig, em Lomar, carrega a responsabilidade de manter elevada a boa reputação da tecnologia desenvolvida e produzida em solo português e exportada a nível mundial. 

 

De Portugal para o mundo 

 

Com presença nas cidades de Aveiro, Ovar e Braga, o Grupo Bosch exporta, a partir do nosso país, para mais de 50 destinos na Europa, América, África e Ásia, sendo Alemanha, Espanha, Reino Unido, EUA e Japão os mercados em evidência. Da Bosch Termotecnologia, em Aveiro, saem as soluções de água quente, enquanto da Bosch Security Systems, de Ovar, proliferam os sistemas de comunicação e segurança. De Braga, da Bosch Car Multimedia Portugal, as soluções inteligentes integradas de infotainment e instrumentação, com foco na segurança e conforto do condutor, caminham de mãos dadas com o desenvolvimento mecânico, eletrónico e de software, de forma a apresentar os produtos mais inovadores que no que diz respeito à multimédia automóvel. E, se ao leitor restarem dúvidas sobre o âmbito da multimédia automóvel, nós desmitificamos: a multimédia automóvel traz para o interior do veículo as funcionalidades dos smartphones, permitindo ao condutor aceder, por exemplo, ao estado do trânsito em tempo real, aos avisos sobre radares, aos diagnósticos sobre o veículo ou outros dados de navegação. O carro conectado, com a possibilidade do condutor personalizar os equipamentos de infotainment no automóvel, é uma das principais tendências influenciadoras do mercado atual. Pouco falta para assistirmos ao aparecimento de funções relacionadas com a realidade aumentada nos veículos. Por exemplo, os para-brisas tornar-se-ão no principal display no interior do automóvel, trazendo informações sobre a condução e sobre o que se passa à volta do veículo para o campo de visão do condutor.

 

Deixando no passado a produção de autorrádios, a empresa de Braga tem vindo a renovar o seu portefólio de produtos com equipamentos modernos e tecnologias de ponta. De acordo com os responsáveis da empresa, a capacidade de produção cada vez mais complexa e de elevada qualidade faz com que seja possível marcar uma posição competitiva no mercado global, construindo tecnologia multimédia automóvel desenvolvida e produzida em Braga, mas com o mundo como consumidor final. 

 

 

As apostas na Bosch de Braga 

 

Com a previsão de investir cerca de 100 milhões de euros em Portugal durante este ano e contratar mais 170 engenheiros, o Grupo Bosch assume pretender continuar com processos de recrutamento de forma a alcançar um número total de cinco mil colaboradores em 2018.

Pretendendo um crescimento sustentado também nas unidades fabris e de produção, a multinacional alemã admite ter como prioridade o investimento a nível de formação dos colaboradores, fazendo crescer as áreas relacionados com o negócio, o desenvolvimento do produto e a inovação. 

Numa procura incessante por novos projetos e mão-de-obra qualificada, as parcerias com universidades portuguesas são um importante vínculo de crescimento para a Bosch. Exemplo disso é a parceria a nível de I&D entre a empresa e a Universidade do Minho, de modo a acelerar o desenvolvimento de produtos e tecnologias inovadoras que respondam às últimas tendências do mercado, tais como a exigência de conectividade e as soluções integradas e user-friendly altamente eficientes.

Numa primeira fase, entre 2012 e 2015, a parceria entre a Bosch Car Multimedia Portugal e a Universidade do Minho foi alvo de um investimento de 19 milhões de euros e resultou no registo de 13 patentes. Apontado pelo Governo português como um projeto de interesse estratégico nacional que irá moldar o futuro da mobilidade, esta parceria avança agora para uma nova fase, apelidada de Innovative Car HMI e prevendo um investimento a rondar os 55 milhões de euros. Exigindo a contratação de 90 novos engenheiros pela Bosch, especializados na área de I&D, e dando oportunidades a 170 bolseiros de diferentes escolas da Universidade do Minho, este programa ambicioso e exigente terá como base dois projetos de inovação – o INNOVCAR e o IFACTORY, já iniciados em julho do ano passado e baseados no avanço dos produtos de realidade aumentada, de condução autónoma e de interface homem-máquina.

Para além desta aposta, a Bosch de Braga está também focada no desenvolvimento de funções de assistência de condução, como os displays centrais que podem ser usados como iPads no carro (esta tecnologia já equipa o automóvel Classe C da Mercedes Benz); clusters de instrumentação livremente programáveis, que substituem os instrumentos mecânicos com ponteiros, mostrando gráficos ou imagens (tecnologia presente no desportivo elétrico de luxo i8, da BMW); e ainda head up displays, para projeção de imagens e informações no para-brisas (inovação visível no novo modelo Mini, da BMW). Em 2020, será a vez do piloto automático da Bosch estar pronto para produção, evidenciando que a empresa está na vanguarda da condução autónoma.

Fotografias cedidas pela Bosch Car Multimédia Portugal


Relacionados

4 vídeos 817 followers