Revista Rua

Apreciar. Instagram

O som de um passo

Ana Cláudia Silva está na rua (@caminhosdeserfeliz)

Nuno Sampaio

Texto: Nuno Sampaio |

A música, os músicos, os palcos estão muito presentes no teu instagram. És tu que procuras a música ou é a música que te encontra?

Acho que é um pouco das duas coisas. Quase como toda a gente, ouço música desde que me conheço e via imensos telediscos. Após a faculdade, entrei no mundo das webzines a escrever sobre música. No caso da fotografia talvez tenha sido a música a reencontrar-me (começou em Coimbra, depois parei, e recomeço, curiosamente, em Braga). Quando o Cícero foi ao Theatro Circo, propus a uma webzine fotografar o ensaio de som (porque apetecia-me experimentar fotografar o lado dos bastidores à qual estou habituada) e a resposta foi positiva. Como correu bem, acabou por surgir a ideia de fotografar outro ensaio de som. Se por um lado sou eu que procuro que concertos quero fotografar, pelo desafio que é fotografar concertos em analógico, por outro lado também já há quem me diga: ”tens de ir ver estes tipos ao vivo e tirares-lhes umas fotos”.

Os teus sítios são contornos solitários que contrastam com uma energia deliciosamente fora de uma moda social. É o teu mundo no mundo dos outros?

 

Para mim, existe uma distância entre ser fotografado e ser o fotógrafo. Eu cresci fora de tudo isso – sempre fui a observadora; sempre gostei de chegar a um lugar / local, parar e observar. A dada altura aceitei ser fotografada por um amigo e foi com essa sessão que aprendi muito de ‘como fotografar’ – não em termos técnicos porque, honestamente, eu não entendo nada de técnica fotográfica porque nunca estudei fotografia – mas em termos de “como conversar com o objeto fotografado”, ou seja, a ligação que criamos seja qual for o objeto. Esta ligação, seja com os retratos, seja com as paisagens, acaba por ter algo de mim – seja um lado emocional ou afetivo. O que pretendo sempre, em cada fotografia, é captar aquele momento porque todos os momentos fotográficos são um complemento à minha memória.

 

 

Quando te visitamos pela primeira vez temos a sensação de estares presente, de nos deixares escolher qualquer momento da tua vida. Esse é o teu caminho de ser feliz?

 

Este caminho é como um rio porque tem uma nascente: começa com retratos aos amigos. Acaba por ter afluentes: passamos a ter paisagens, a ter música, a ter nuvens… Felizmente não sei onde vai desaguar. O este caminho ambíguo: é ter os amigos por perto, é criar pequenos momentos, mas também é ter os meus momentos solitários. Se as pessoas se identificam com esses momentos da minha vida, fico muito contente, mas a verdade é que não tenho a noção de nada. Se puder proporcionar um caminho feliz a alguém através da fotografia, então acho que isso é o ponto alto deste ‘caminho’.

 

 

Um palco, uma banda, uma cidade, tu a fotografar. Qual seria a tua escolha?

 

Um barco (porque qualquer coisa pode ser um palco); os Tinariwen ou, novamente, os Sean Riley & The Slowriders em Ponta Delgada.

 

 

swimming pool blue #film #filmphotography #analog #analogphoto #analogphotography #analoglandscape #landscape #35mm #35mmfilm #35mmphotography #pentax #pentaxk1000 #pentaxlovers #kodak #kodak_photo #kodakfilm #kodakdoublex #azores #açores #saomiguelisland #iloveazores #ishootfilm #shareazores #visitazores #maquinasdeoutrostempos #caminhosdeserfeliz #welovefilm

Uma foto publicada por Ana Cláudia Silva (@caminhosdeserfeliz) a  


4 vídeos 692 followers 2 posts