Revista Rua

Apreciar. Instagram

Rostos de fumo

Nuno Sampaio

Texto: Nuno Sampaio |

As tuas fotos são pequenos escapes entre viagens e uma realidade que te é mais familiar. Existe alguma diferença entre fotografar o desconhecido e o que te é mais próximo?

Sim, existe uma grande diferença e julgo não ser o único a pensar assim. Em viagens nunca sei ao certo com o que me vou deparar. Os registos são sempre mais espontâneos e instintivos comparados aos dessa tal realidade que me é mais familiar, com a qual tenho um contacto constante tornando-a assim mais banal e de certo modo “previsível”.

 

#stereofighter #zemiguel #makingdonuts #smoking #nightsession #nightphotography @pt_bnw_

A photo posted by Luis Pedro (@l_manchini) on

 

Alguns dos teus sítios são ausências humanas. Preferes este estado mais bruto numa natureza essencialmente desumanizada ou preferes a voz do corpo humano para uma reflexão mais intimista?

Gosto de ambos. São diferentes. A natureza por si só é surpreendente e tem um grande potencial como objeto fotográfico enquanto a figura humana é mais expressiva. Acho que é mais fácil transmitir uma emoção através de um retrato do que de uma paisagem. Fotografo o que me vai na alma e não tenho a mínima preocupação com a organização do meu feed de instagram.

Há uma espécie de fumo, de nublado formal, como que se fosse uma transição para outra dimensão. Os teus rostos estão muitas vezes dissimulados nessa transição. Existe algum motivo para este reflexo existencial?

O fumo e o nevoeiro são elementos que, para além de darem origem a efeitos espetaculares quando conjugados com luz, conseguem transmitir uma mensagem com alguma misticidade deixando o observador na dúvida sobre o seu significado, o que leva a que seja interpretada de forma diferente por cada um.

 

#humanparts #kaos #bw #bwphotography #bodys #legs #arms #head

A photo posted by Luis Pedro (@l_manchini) on

Existe alguma rua, um local, uma estrada, um mar que gostasses de voltar? Fotografavas de maneira diferente da primeira vez?

Sim, Nova Yorque. Foi uma estadia curta mas intensa. Fui mais com o objetivo de tirar partido da cidade, fiz algumas fotografias mas gostava de voltar com mais tempo. Mas acho que fotografava qualquer sítio que já tenha visitado de maneira diferente porque o primeiro contacto é sempre mais impactante.

Um sítio onde nunca tenhas ido e gostasses de o visitar. Porquê?

São muitos mesmo, mas a escolher um seria o estado da Califórnia. Posso estar enganado porque nunca lá fui mas tenho o feeling que aquilo tem tudo a ver comigo.

 

#waveafterwave #cardboardwave #cardboard #waves #pattern

A photo posted by Luis Pedro (@l_manchini) on

Um/a fotógrafo/a com quem gostasses de viajar?

Chris Burkard, para viagens parece-me um ótimo exemplo. 


Relacionados

revista rua, mariana costa, instagram

Apreciar. Instagram

Num corpo Só

Texto: Nuno Sampaio
4 vídeos 725 followers 2 posts