Revista Rua

Observar. Talento

Um futuro na ponta dos dedos

Andreia Filipa Ferreira

Texto: Andreia Filipa Ferreira |

"Felicidade para mim é a busca da perfeição"

"Poderia dizer que o meu maior sonho seria tocar nos melhores palcos, com as melhores orquestras. Mas a verdade é que o meu conceito de felicidade é bem diferente. Felicidade para mim é a busca da perfeição, é aperfeiçoarmo-nos a cada dia que passa, é a procura da beleza na arte. É a poesia na música e a música na poesia. E enquanto estas habitarem em mim, viverei plenamente e feliz!”
 
É com estas palavras de Pedro Emanuel Pereira que introduzimos uma história de dedicação e talento. Pianista de alma e coração, o minhoto de 26 anos tem já no seu percurso várias atuações em palcos mundiais, construindo uma carreira que se estende desde a brisa marinha portuguesa às terras frias russas. Hoje, a viver nos Países Baixos, frequentando o Conservatório de Amesterdão, Pedro Emanuel Pereira olha para Portugal como quem vê no horizonte um império à espera de um impulso. “Muito se tem feito em Portugal para o desenvolvimento do ensino artístico, mas também estou consciente de que ainda há um longo caminho a percorrer. Temos escolas de música espalhadas por todo o país, temos jovens músicos de muita qualidade em Portugal, mas estes nem sempre têm muitas oportunidades para se apresentar em palco.
 
É o palco que faz o artista e penso que esta é uma questão a melhorar”, conta-nos. Mas desvendemos o início desta história, como quem lê pela primeira vez uma partitura: “Tudo começou por culpa da minha mãe. Ela sempre adorou cantar. Desde o berço que cantava para mim. Aos três anos comecei a frequentar os ensaios do grupo coral onde ela cantava e, aos cinco, ela inscreveu-me numa escola de música em Famalicão, onde comecei a aprender as primeiras notas musicais”, afirma Pedro, recordando os dias de sábado, preenchidos pelas melodias que lhe ocupavam quase todo o dia. À medida que o tempo foi passando, o tom certo foi-se aprimorando e, com a ajuda do professor Marian Pivka, o caminho de Pedro foi-se compondo, abrindo-se as portas para o mundo. “Marian Pivka ‘provocou’ a minha viagem para a Rússia. Foi ele que me inspirou e me deu as bases para aquilo que sou hoje. Sem ele não havia Conservatório de Moscovo e talvez nem houvesse piano na minha vida...”, relembra o pianista.
 
 
 
Perfil
Natural de Guimarães, Pedro Emanuel Pereira é um verdadeiro filho da música. Com apenas cinco anos, iniciou o seu percurso estudando piano e antecipando uma carreira com muito talento para revelar. Mas o talento de Pedro tornou-se maior do que um país, fazendo-o rumar à Rússia após ter conseguido uma bolsa de estudo atribuída pela Fundação Calouste Gulbenkian. No ilustre Conservatório de Moscovo P.I. Tchaikovsky, o pianista português terminou o seu curso de forma distinta em 2014. Durante os seis anos em que lá estudou, Pedro teve oportunidade de atuar um pouco por toda a Rússia. Salas como a Rachmaninov Concert Hall, a Grande Sala da Academia Gnessin, o Grande Auditório do Conservatório de Moscovo ou o Museu Sviatoslav Richter abriram-se às suas melodias até chegar o momento de pisar, mais recentemente, a sala Suggia da Casa da Música do Porto, marcando o início do ciclo de piano de 2017. Com vários prémios conquistados, como o primeiro lugar no Concurso Internacional de Piano ‘Cidade de San Sebastian’, em Espanha, com 15 anos, ou o primeiro prémio e prémio Hvorostovsky no Concurso Internacional para Piano e Voz ‘PianoVoce’ em Moscovo, juntamente com a mezzo-soprano Anna Viktorova, Pedro encontra-se hoje a viver nos Países Baixos, assumindo-se como um ícone da música clássica.

Relacionados

4 vídeos 725 followers 2 posts