Revista Rua

Lifestyle. Minhotos pelo Mundo

Uma aventura na gélida Noruega

Filipa Santos Sousa

Texto: Filipa Santos Sousa |

Com as suas casas de madeira coloridas e construídas sobre o mar, e com o branco da cordilheira envolvente, Bergen é a nova casa de Miguel Sarmento há cinco meses. Decidido a impulsionar a sua carreira, o antigo jogador do ABC de Braga não perdeu tempo, pegou numa mala e, claro, em muita roupa quente. 

Bergen é considerada uma das maiores cidades da Noruega, mas também uma das mais chuvosas com uma “média de 240 dias” de precipitação por ano, facto que não é fácil até para um bracarense. Por isso, as mudanças de clima foram uma das maiores dificuldades sentidas por Miguel Sarmento, de 27 anos. “O primeiro impacto foi influenciado pela meteorologia. Início de agosto, muita chuva, e algumas dúvidas sobre o que tinha acabado de fazer… Deixar Portugal, em pleno verão, para vir sozinho, por momentos não me pareceu tão divertido”, confessa.

Apesar dos graus negativos, o certo é que não se arrepende da decisão, afinal precisava de um novo rumo para a sua carreira. Antes de abraçar esta aventura, Miguel jogava andebol no ABC de Braga, pelo meio aproveitava para dar uso à sua formação superior em Ciências da Comunicação e fazia alguns trabalhos freelancer na área audiovisual. No entanto, a falta de acordo para a sua renovação contratual no âmbito desportivo motivou esta mudança. Longe do Minho e ávido por singrar, está atualmente a jogar no Viking TIF e a trabalhar como videógrafo numa cadeia de restaurantes.

“É uma experiência que me tem preenchido a nível pessoal e profissional e que me alargou os horizontes”, assevera.

Costuma dizer-se que há um português espalhado por todo o mundo. Verídico ou não, a verdade é que, logo na primeira semana, Miguel deparou-se com compatriotas: “Encontrei-me com quatro portugueses para comer alheira, tremoços e chouriço! Não imaginava que cinco meses depois ia sentir falta disso!”.

A cidade é conhecida não somente pela chuva, mas também por ser um dos mais importantes portos de cruzeiros para os mares do Norte. “Há muito turismo, uma vez que Bergen é o ‘portão’ para os Fiordes, algo indispensável de conhecer na Noruega. Tive a oportunidade de viajar entre Bergen e Myrdal, de barco e comboio, ver paisagens que são praticamente impossíveis de descrever: o mar entre as montanhas, paisagens completamente brancas em terra de ninguém”, explica o andebolista.

A par do cenário de cortar a respiração, tanto pela formosura como pelo frio, Miguel refere também o icónico bacalhau da Noruega. Vivendo na terra do bacalhau, seria de esperar que o seu sabor fosse ainda melhor, certo? Segundo o jovem minhoto, a suposição é, de todo, errada. “Apesar de estar na Noruega, o melhor bacalhau que comi veio de Portugal. Prefiro bacalhau à Braga ou cabrito assado a baleia ou rena”, conta-nos, bem-disposto, este minhoto numa cidade “saída de um conto de fadas”.

 


4 vídeos 1011 followers