Revista Rua

2018-08-07T16:55:16+00:00 Cultura, Radar

Centro Cultural Vila Flor celebra 13 anos com programa alargado

Setembro traz teatro, música e dança ao CCVF
©Paulo Pacheco
João Lobo Monteiro
João Lobo Monteiro7 Agosto, 2018
Centro Cultural Vila Flor celebra 13 anos com programa alargado
Setembro traz teatro, música e dança ao CCVF

A reabertura das portas do Centro Cultural Vila Flor (CCVF) coincide com o 13.º aniversário deste espaço e vai contar com um programa festivo de música, dança e teatro durante todo o mês de setembro.

Os acordes iniciais para a nova temporada serão dados nos jardins do CCVF, nos dias 7 e 8, às 21h30, com o Manta, ritual cultural e social que, nos últimos anos, tem preenchido o primeiro fim de semana do mês.

Na primeira noite, a icónica banda Mão Morta traz ao Manta a sua faceta mais imersiva, com temas retirados um pouco de toda a sua discografia, mas também alguns módulos que irão integrar o seu próximo disco e que terão no Manta a sua antestreia. Antes dos Mão Morta, a pianista Joana Gama presenteia o público com um novo recital, que intercala a obra multifacetada de Erik Satie com a de compositores que o seguiram na exploração do som.

No segundo dia, às 18h00, é inaugurada uma nova área do festival, dedicada ao público mais jovem, com um concerto comentado para crianças, da autoria de Joana Gama, envolto no universo do Erik Satie. Nessa noite, o Manta será também lugar da manifestação da criatividade feminina, com a artista brasileira LaBaq a anteceder a entrada de Scout Niblett, artista inglesa que visita Guimarães com um concerto exclusivo.

O fim de semana que antecipa a data de ‘nascimento’ do CCVF – 17 de setembro – centra as atenções nas artes performativas. A performance A meio da noite chegará ao grande auditório pela mão de Olga Roriz, no dia 15 (21h30), numa homenagem a Ingmar Bergman, no ano de celebração do centenário do realizador sueco. No final do espetáculo, a coreógrafa junta-se ao público, para um momento de conversa, aberto a todos os presentes.

Nos dias 16 e 17, o Teatro Oficina, em colaboração com o serviço de Educação e Mediação Cultural, abre as portas do Vila Flor para levar o público a descobrir, Do avesso, os lugares secretos deste espaço. Nesta ‘inspeção’ performativa, vai investigar-se o que não se vê, o que não está em cena, uma visita que tem o custo de dois euros e carece de reserva com, pelo menos, uma semana de antecedência.

Na semana seguinte, a 22 de setembro, a música faz-se ouvir novamente no CCVF, com a estreia nacional do espetáculo Meet Cecil Satariano, apresentado pelo conjunto português MODS Collective.

Moçambique ©José Carlos Duarte

Entre os dias 24 e 26 de setembro, aproveitando a presença da companhia Mala Voadora em Guimarães, o CCVF dá, ainda, a oportunidade de conhecer de perto os processos de trabalho e criação dos seus diretores, o ator e encenador Jorge Andrade e o cenógrafo José Capela, através de uma oficina dirigida a criadores e encenadores.

Finalmente, o teatro daquela companhia ganha protagonismo nos dias 27 e 29, com as peças Moçambique e Amazónia a subirem ao palco do grande auditório. No fim do espetáculo, a Mala Voadora aterra junto do público, para um momento de debate e partilha, numa conversa informal.

Toda a programação do mês de setembro do Centro Cultural Vila Flor pode ser consultada em www.ccvf.pt e os bilhetes para os espetáculos pagos também poderão ser adquiridos no site ou nas bilheteiras do Vila Flor, entre outros locais.

Partilhar Artigo:
Fechar