Revista Rua

2018-09-11T17:21:51+00:00 Cultura, Outras Artes, Radar

Dança, música e pensamento: está a chegar a 14ª edição do Circular Festival de Artes Performativas

De 22 a 29 de setembro, Vila do Conde recebe onze propostas de artistas nacionais e internacionais de dança contemporânea, performance, música e pensamento.
Escultura Moderna Nº2, de João Tiago Dias + José Alberto Gomes ©Nelson Silva Sousa
Redação
Redação11 Setembro, 2018
Dança, música e pensamento: está a chegar a 14ª edição do Circular Festival de Artes Performativas
De 22 a 29 de setembro, Vila do Conde recebe onze propostas de artistas nacionais e internacionais de dança contemporânea, performance, música e pensamento.
João Pais Filipe

Ricardo Jacinto (Portugal), Christian Rizzo (França), João Pais Filipe (Portugal), Joclécio Azevedo com Isabel Costa (Brasil/Portugal), Clara Amaral (Portugal), Ana Jotta, Cyriaque Villemaux e João dos Santos Martins(Portugal/França), João Tiago Dias/José Alberto Gomes (Portugal), Marcela Levi e Lucía Russo (Brasil/Argentina) são alguns dos nomes que, em 2018, constituem o programa da 14ª edição do Circular Festival de Artes Performativas, a iniciar a 22 de setembro. Com três momentos a marcar a abertura desta edição, o Circular Festival de Artes Performativas de 2018 estreia-se com uma produção própria, em co-produção com as Curtas Metragens CRL / Solar – Galeria de Arte Cinemática, através da exposição Cinco Filmes e uma Máscara, de Ricardo Jacinto, às 18h30, ocupando o espaço da Solar Galeria de Arte Cinemática. Esta apresentação inclui várias instalações de vídeo e um concerto-instalação, de entrada livre.

Ricardo Jacinto + Nuno Torres ©Francisco Nogueira

Mais tarde, pelas 21h30, no Teatro Municipal de Vila do Conde, o coreógrafo francês Christian Rizzo, um dos mais renomados coreógrafos europeus e diretor do Centro Coreográfico Nacional de Montpellier Languedoc-Roussillon, regressa ao Circular (depois de uma passagem pelo Festival em 2015) para apresentar ad noctum, em estreia nacional.

Ainda no sábado, às 22h30, o músico João Pais Filipe apresenta-se no Teatro Municipal de Vila do Conde para o concerto de lançamento do seu disco homónimo a solo, onde explora registos contemporâneos e primitivos, numa pluralidade rítmica. O concerto é de entrada livre.

Já no domingo, dia 23 de setembro, entre as 16h30 e as 18h30, também no Teatro Municipal de Vila do Conde, Joana von Mayer Trindade e Hugo Calhim Cristóvão realizam o 1º Encontro-Debate do projeto “Dos Suicidados – O Vício de Humilhar a Imortalidade” que vai contar, também, com a participação de Celeste Natário (Docente FLUP), Claúdia Marisa (Professora Adjunta na ESMAE), Ezequiel Santos (Psicólogo e psicoterapeuta, doutorando em arte contemporânea, programador) e Sofia Vilar (Psicóloga Clínica e da Saúde).

Joclécio Azevedo, Artista Residente da Circular Associação Cultural, traz ao Festival em 2018 o projecto “Modos de Usar” com a bailarina Isabel Costa.

Christian Rizzo ©Mario Sinistajad noctum

Durante a semana, de 26 a 29,  de quarta-feira a sábado, a jovem coreógrafa portuguesa Clara Amaral, que reside atualmente em Amsterdão, leva ao Teatro Municipal de Vila do Conde a performance Do you remember that time we were together and danced this or that dance?. Esta performance apresenta uma publicação imaterial que, em vez da forma impressa, foi decorada pela artista e é dita oralmente, em sessões individuais, com a duração de 30 minutos cada. Ao todo estão previstas 20 sessões distribuídas por quatro dias.

Há ainda lugar para uma estreia absoluta, a 28 de setembro, pelas 21h30: João dos Santos Martins, artista residente da Circular desde 2015, apresenta Onde está o casaco? em co-criação com Cyriaque Villemaux e Ana Jotta. O espetáculo de dança vai decorrer no Auditório da Santa Casa da Misericórdia de Vila do Conde e é de entrada livre.

No sábado, dia 29 de setembro, o Auditório Municipal de Vila do Conde recebe o concerto-instalação Auto-retrato (para tempo, multipercussão, luz, eletrónica e performer) de João Tiago Dias/José Alberto Gomes com a duração de quatro horas consecutivas (o público poderá entrar e sair durante a apresentação). Neste trabalho, apoiado pelo programa Criatório da Câmara Municipal do Porto, o percussionista João Tiago Dias vai interpretar uma obra do compositor José Alberto Gomes.

Também no Sábado, às 19:30, na Solar, Ricardo Jacinto junta-se a Nuno Torres para o concerto-instalação MEDUSA SPECTRUM para violoncelo, eletrónica, rádios e objeto ressonante.

O encerramento do Circular acontece no dia 29 de setembro, às 21:30, com a estreia nacional de Deixa Arder da brasileira Marcela Levi e da argentina Lucía Russo. Com interpretação da performer Tamires Costa, Deixa Arder estabelece uma relação muito próxima e intimista com os espetadores, num tom provocatório e quase burlesco, ao som do funk, do jazz e do pop.

Clara Amaral

Todos os espetáculos são de entrada gratuita, à exceção de ad noctum, de Christian Rizzo, Do you remember that time we were together and danced this or that dance?, de Clara Amaral e Deixa Arder, de Marcela Levi e Lucía Russo. Os bilhetes têm o preço único de cinco euros.

Os bilhetes poderão ser antecipadamente adquiridos em BOL e nos postos de venda associados: FNAC; El Corte Inglês; Worten; CTT; Centro Comercial Espaço Guimarães e Centro Comercial Forum Aveiro.

Todo o programa pode ser consultado em http://www.circularfestival.com/.

 

Partilhar Artigo:
Fechar