Revista Rua

2018-09-10T16:34:07+00:00 Cultura, Outras Artes, Radar

gnration: programação recheada no último trimestre do ano

Rita Almeida
Rita Almeida10 Setembro, 2018
gnration: programação recheada no último trimestre do ano

O músico e produtor britânico James Holden, a redescoberta compositora e percussionista japonesa Midori Takada e os magos do rock psicadélico Acid Mothers Temple são alguns dos artistas que vão passar pelo gnration, em Braga, até ao final do ano. Festivais e workshops também fazem parte da programação.

James Holden é considerado um dos “gurus” da música eletrónica da atualidade. O artista regressa a Portugal a 8 de novembro, depois de ter passado em agosto pelo festival de música eletrónica Neopop, em Viana do Castelo. O músico britânico trará o mais recente disco The Animal Spirits.  Midori Takada é outro nome a destacar. Com 66 anos, a compositora e percussionista vai dar um concerto, a 13 de novembro, na Capela Imaculada do Seminário Menor, de arquitetura moderna e um ex-libris da cidade bracarense. A atuação insere-se no ciclo gnration@, iniciativa que tem o objetivo de dinamizar atividades culturais em locais emblemáticos da cidade dos arcebispos. O acesso é gratuito, se apresentar bilhete para outro espetáculo de música do mesmo trimestre.

O dia 4 de outubro está reservado para a atuação dos japoneses Acid Mother Temple. A banda, fundada em 1995, conta com uma história dedicada ao improviso por mais de duas décadas e com uma discografia composta por mais de 100 edições. O regresso a Portugal fica marcado com a estreia do vocalista Jyonson Tsu. Na mesma noite, sobem também ao palco os bracarenses The Nancy Spungen X.  Karlheinz Stockhausen, compositor alemão de música contemporânea, será relembrado a 12 de outubro com a interpretação de algumas das suas peças. No palco, vai ouvir-se Telemusik e Kontakte pelo piano de Patrícia Martins, a percussão de Michael Pattmann e a eletrónica de Ricardo Guerreiro.

Scale Travels Matthew Biederman

Convidado a integrar o programa Scale Travels, iniciativa que alia a arte e a nanotecnologia em projeto pioneiro, o gnration vai receber o conceituado artista visual francês Joanie Lemercier, que apresentará uma nova instalação audiovisual na galeria do Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL). Microscapes resulta da residência artística levada a cabo, este ano, no INL, que pode ser visitado de 15 de outubro a 12 de janeiro. A entrada é gratuita.

De 26 a 28 de outubro, este espaço bracarense recebe a oitava edição do SEMIBREVE, festival de música eletrónica e arte digital. Pelo gnration vão passar artistas como Jlin, RP Boo, SØS Gunver Ryberg e DJ Stringray. Além de instalações artísticas patentes para o festival, o SEMIBREVE e o gnration, em parceria com a Bienal de Arte de Cerveira, apresentam a exposição Uma perspetiva sobre a vídeo arte portuguesa – anos 80. A mostra reúne, em primeira mão, trabalhos recuperados de artistas portugueses da década de 80 na área do vídeo. Mas os festivais não ficam por aqui. O Festival Para Gente Sentada vai regressar novamente à cidade, a 16 e 17 de novembro. O programa de concertos, que se divide entre o Theatro Circo e o gnration, será relevado brevemente.

Violinista e figura da cena musical independente de Montreal, Jessica Moss deu-se a conhecer com os A Silver Mt. Zion. Depois da estreia com Pools of Light, em 2017, Moss regressa aos discos um ano depois comm Entanglement, que será apresentado a 4 de dezembro.

Na dança, a 7 de dezembro, é a vez de EXI(s)T(s), o novo trabalho da coreógrafa e performer portuguesa Mariana Tengner Barros. Uma semana depois, o coreógrafo Flávio Rodrigues desenvolverá uma residência artística no laboratório transdisciplinar Guelra. O resultado final será apresentado publicamente a 14 de dezembro.

Para fechar a programação, o gnration recebe o OCUPA, perspetiva sobre a música eletrónica e arte digital em Braga. Para a sua terceira edição, o OCUPA abre a porta a um convidado internacional, o britânico Roly Porter. Com Third Law, o mais recente disco, Porter arrecadou as melhores críticas da imprensa especializada que o colocaram como uma figura de interesse. Do programa faz ainda parte uma encomenda conjunta aos bracarenses David Machado, Dora Vieira e Tundra Fault, com visuais por Distorted Vision, e apresentação final do Clube de Inverno, este ano liderado pela editora portuense Crónica. Também novidade será um programa de conversas sobre a relação entre tecnologia, arte, performance, com a participação de artistas e académicos.

A nível educativo, propõe-se um conjunto de workshops e espetáculos para crianças e jovens. Com o início de um novo ano letivo, regressa também o ciclo Primeiros Bits, sessões que ensinam crianças e jovens da cidade de Braga a criar música recorrendo às novas tecnologias. As novas sessões decorrem a 10 de outubro, 21 de novembro e 5 de dezembro. Do programa fazem também parte os workshops de Mistura e Finalização (20 de outubro), Pequenos Makers (13 de outubro), Clube Arduíno (10 de novembro), Coderdojo Braga (20 de outubro + 10 de novembro), Robótica para Crianças (17 de novembro) e Max For Live (24 de novembro). A 13 e 14 de dezembro, decorre a segunda edição do Clube de Inverno, este ano coordenado pela editora Crónica, que convida artistas a participarem em sessões de exploração e improvisação.

Os bilhetes para o trimestre podem já ser adquiridos em https://gnration.bol.pt, balcão gnration e locais habituais.

Partilhar Artigo:
Fechar