Revista Rua

2018-05-07T13:02:22+00:00 Negócios

Acrescentar

Construir refúgios para toda a família
Redação
Redação3 Maio, 2018
Acrescentar
Construir refúgios para toda a família

É com um importante cunho familiar, com Pedro e Sara Ferreira como rostos de um projeto que conta já 12 anos, que apresentamos a Acrescentar. Sediada na freguesia bracarense de Real, a Acrescentar é uma empresa de construção, arquitetura e design que tem como objetivo principal a oferta de habitação sustentável com possibilidade de personalizar a mesma à imagem, gosto e estilo de vida de cada cliente. Com uma filosofia de diferenciação, marcada por projetos inovadores que revolucionam o mercado, a Acrescentar tem no seu portefólio cerca de 400 frações construídas, estando hoje envolvida num projeto que promete trazer novas dinâmicas à cidade de Braga que, de acordo com Pedro Ferreira, o administrador da Acrescentar, carece de oferta imobiliária num momento de intenso crescimento urbano. “O nosso maior projeto, de momento, é o Green Terrace, em Real, junto ao Estádio e à Quinta Pedagógica. Já entregámos 208 frações e estamos a preparar mais 156 em condomínio fechado. Temos uma nova fase em desenvolvimento, para 267 frações. Diria que estamos a construir uma autêntica freguesia dentro da própria freguesia. É um empreendimento com muito espaço verde, com grande incidência solar e tem tido imensa procura. Este empreendimento dispõe de apartamentos em regime de condomínio fechado, com piscina, campo de jogos e parque infantil. Acredito que esta zona da cidade irá crescer e, por isso, é um projeto muito interessante”, explica-nos Pedro.

Com o seu início marcado pelas competências imobiliárias, a Acrescentar foi assumindo, aos poucos e devido à crise que o sector sentiu há bem pouco tempo, a parte de construtora. “O nosso objetivo sempre foi termos uma estratégia administrativa e subcontratar os serviços de construção e, neste momento, vivemos uma situação mista: a nossa equipa é formada por quatro engenheiros, quatro arquitetos, três encarregados e, tudo o que não conseguimos fazer internamente, subcontratamos, nomeadamente a nível de mão de obra”, refere o administrador, acrescentando: “Somos hoje 25 funcionários diretos e, indiretamente, trabalham connosco mais ou menos 150 pessoas por dia”.

Desenvolvendo projetos em Braga, Porto e ainda com planos para construções em Ofir, a Acrescentar mantém-se fiel à sua abordagem familiar, estudando a evolução das sociedades e adaptando os seus projetos às preferências dos clientes. “A imagem final do projeto é, para nós, muito importante. Trabalhamos muito os espaços com 90º em cinzas e brancos. Essa é a base. Temos uma preocupação especial na qualidade e especificidade técnica dos materiais aplicados de modo que a nossa construção tenha o mínimo de manutenção futura e que cumpra os requisitos em termos ambientais – todos os nossos empreendimentos têm Green no título e não é por acaso. Utilizamos materiais sustentáveis e temos certificação energética e acústica. Depois, em termos de decoração, cada cliente pode explorar as suas preferências”, diz-nos Pedro, aproveitando para mencionar que, de momento, a Acrescentar propõe os ambientes open space, numa sugestão de maior interação entre famílias, num conceito social que não menospreza o design e conforto típico da linha Acrescentar.

Traçando um perfil da própria cidade de Braga, Pedro assume que a classe média está a renascer, sendo necessária uma oferta distinta. Trabalhando para contribuir para essa oferta, Pedro afirma que a Acrescentar tem como objetivo futuro continuar a construir, já que “a procura é dez vezes superior à oferta”. “Diria que hoje 99% das nossas vendas são diretas, o que é prova da notoriedade que a empresa adquiriu ao longo dos anos. O nosso cliente é o amigo e o familiar do cliente que já nos compra. Mas sentimos uma procura dez vezes superior à oferta que conseguimos dar. É assustador!”, assume Pedro.

Com uma carteira de mais de 200 clientes ativos, a Acrescentar tem a expectativa de triplicar este número já este ano, colocando em evidência a sua evolução enquanto negócio. Um negócio de família e para a família!

Fotografia: Nuno Sampaio

Partilhar Artigo:
Fechar