Revista Rua

2018-08-20T12:15:48+00:00 Património

O dominante Forte da Lagarteira, em Vila Praia de Âncora

O distrito de Viana do Castelo é riquíssimo a nível turístico e patrimonial. O concelho de Caminha não é exceção e tem o Forte da Lagarteira, também conhecido por Forte de Âncora, um dos exemplos máximos dessa riqueza.
José Gonçalves Lopes
José Gonçalves Lopes2 Julho, 2018
O dominante Forte da Lagarteira, em Vila Praia de Âncora
O distrito de Viana do Castelo é riquíssimo a nível turístico e patrimonial. O concelho de Caminha não é exceção e tem o Forte da Lagarteira, também conhecido por Forte de Âncora, um dos exemplos máximos dessa riqueza.

A época da construção deste monumento não é consensual, situando-se no século XVII, durante o período da restauração, mais concretamente no reinado de Pedro II, o Pacífico, da dinastia de Bragança, com o objetivo de fortalecer e reforçar as linhas de fronteira da região face à ameaça espanhola, mandando também construir o Forte do Cão a defender a foz do rio.

O Forte da Lagarteira situa-se na margem direita do rio Âncora, numa elevação rochosa que lhe concede uma posição dominante em relação à envolvência. É uma fortificação de pequenas dimensões repleta de baluartes, uma obra defensiva igualmente conhecida como fortificação em estrela, devido à forma estelar que o edifício possui visto de cima. A fortaleza de Valença também em Viana do Castelo é outro desses exemplos.

Os quartéis são abobadados e possuem lareiras, e nas canhoneiras da bateria podem ser observadas provectas peças de artilharia. Na fachada da fortaleza foi edificado um portal de arco pleno com aduelas definidas. Sob o portão de armas podemos ver uma pedra com as armas reais. A praça de armas é enquadrada por três estruturas e duas rampas de acesso ao adarve (muro da fortaleza) e ao eirado (terraço).

Em 1955 sofreu obras de restauro e a 24 de janeiro de 1967 foi classificado como Imóvel de Interesse Público. Na década de 80 comportou obras de consolidação e melhoramento. Em 1997 sofreu novamente trabalhos de conservação.

Desde 2017 que a Câmara Municipal de Caminha assinou um protocolo de cooperação com a Autoridade Marítima Nacional para que este espaço seja o local de várias iniciativas.

Este ano já é possível visitar o forte, até dia 30 de setembro, e a entrada é gratuita. Pode visitar uma exposição sobre a história do monumento. Uma das novidades é o “Cantinho do Peregrino”, onde o peregrino a Santiago de Compostela poderá usufruir do espaço para repousar e depois seguir viagem.

Partilhar Artigo:
Fechar