Revista Rua

2018-07-09T15:19:49+00:00 Cultura, Música

Percursos da Música em Ponte de Lima

O Festival Percursos da Música ocupa locais emblemáticos da vila minhota
Miguel Estima
Miguel Estima9 Julho, 2018
Percursos da Música em Ponte de Lima
O Festival Percursos da Música ocupa locais emblemáticos da vila minhota

Começa o verão e ficamos desde já com a agenda preenchida de eventos culturais. O mês de julho traz ao centro histórico de Ponte de Lima uma regra: todas as noites há concertos, desde o dia 3 até ao dia 20.

No meio de tanta oferta, com quase três dezenas de concertos, a primeira noite da RUA nos Percursos da Música, na passada quinta-feira, 5 de julho, foi ao som de um projeto de jazz: LiftOff. A atuação do quarteto que tinha como mentores o vibrafonista Jeff Davis e o pianista Óscar M. Graça, acompanhados neste concerto por Nelson Cascais no contrabaixo e Diogo Alexandre na bateria (que veio substituir Alexandre Frazão) teve lugar na Rua Formosa, vulgarmente conhecida por Rampinha.

A segunda experiência musical foi na sexta-feira, dia 6 de julho, com João Gigante e o projeto Phole. Sozinho em palco, no pequeno Largo da Picota, a performance cruzou o som da concertina com visuais, numa mistura entre o tradicional e o contemporâneo. Na mesma noite, os conimbricenses Birds Are Indie ocuparam de uma forma agradável o Largo da Matriz. Foi um concerto revivalista, já que a sonoridade faz relembrar sons do passado quando ainda existiam os Silence 4. Traziam na bagagem o novo Local Affairs, lançado este ano, sendo apresentado quase na íntegra, juntando alguns temas dos outros três discos.

Para finalizar esta primeira parte de reportagem dos Percursos da Música, no sábado, dia 7 de julho, decorreu na escadaria da capela das Pereiras um concerto de jazz, com um trio invulgar. Juntou o contrabaixista Carlos Bica com Luís Figueiredo e João Mortágua. Os conhecedores de jazz estavam seguramente deliciados com estas três grandes figuras do jazz nacional. Bica, que se encontra radicado na Alemanha, é um dos músicos de excelência. O trio Azul, do qual é líder, é dos mais conceituados trios de jazz europeu. Luís Figueiredo, exímio pianista e compositor, é também um dos nomes mais respeitados dentro do piano jazz nacional. A juntar João Mortágua, brilhante na forma como executa o saxofone, dando um toque muito peculiar a cada um dos temas que interpreta. Os três criaram uma atmosfera perfeita entre a escadaria e o jazz, deixando o público rendido ao jazz que se fez ouvir nesta calorosa noite de verão.

Fotografias: Miguel Estima

Partilhar Artigo:
Fechar