Revista Rua

2018-05-03T19:13:18+00:00 Opinião

Quatro percursos cicláveis à (re)descoberta de Guimarães

Partilhar Artigo:
Minho Ciclável
Minho Ciclável
2 Abril, 2018
Quatro percursos cicláveis à (re)descoberta de Guimarães

“Às vezes ouço passar o vento e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido”, Fernando Pessoa

É da procura crescente pelo turismo de natureza e a vontade de usufruir do património natural, arquitetónico, paisagístico e cultural, sem a degradação do mesmo, e também no seguimento do compromisso da Divisão de Turismo da Câmara Municipal de Guimarães em promover a cidade, numa estratégia conjunta de envolvimento de todos os seus operadores turísticos, que a Get Green promove o cicloturismo.

Cada percurso turístico, disponibiliza atividades complementares ao longo do mesmo, com a possibilidade de o utilizador ser autónomo ou acompanhado por um guia, numa bicicleta normal ou elétrica.

ECO HISTÓRICO

Partindo da Plataforma das Artes e Criatividade, vamos encontrar a Praça do Toural, considerada o coração da cidade. Seguindo pelo centro histórico, Património Cultural da Humanidade em 2001, vamos encontrar a Zona de Couros onde se curtiam e surravam as peles. Sempre pedalando, vamos às Hortas Pedagógicas, uma porção de terra pincelada de tons verdes, e a Cidade Desportiva.

Este percurso de 12 km viaja entre o passado e o presente da cidade.

ECO SPORT

Partindo de Guimarães e passando pelo Parque da Cidade, entramos na ciclovia Guimarães-Fafe. Este trilho era a antiga linha ferroviária, desativada em 1986. Seguimos pelo Centro de Fafe até encontrar a Barragem da Queimadela com a sua elogiada “Praia Acessível – Praia para Todos”. Nas suas águas claras pode praticar-se canoagem. Continuando mais um pouco deparamo-nos com a Aldeia do Pontido, que nos leva a imaginar o chiar dos carros de bois que marcaram os sulcos na calçada.

Um percurso inesquecível de 30 km.

ECO ZEN

Partindo de Guimarães tomamos a direção da Pousada de Santa Marinha da Costa, antigo convento fundado pela Rainha D. Mafalda em 1145. Subindo até à montanha da Penha, deparamo-nos com uma luxuriante vegetação, ermidas e penedos onde o sagrado e o profano se cruzam. Há ainda a destacar o Santuário e o ponto mais alto de Guimarães, a Praça PIO IX.

Um percurso surpreendente de 18 km.

ECO SPA

Partindo de Guimarães, e percorrendo a margem do Rio Ave, encontramos o parque de campismo das Taipas, o Parque de Lazer e as suas famosas Termas. Esta estância termal dotada de águas terapêuticas e uma gama de cosméticos naturais pode ser uma excelente escolha para relaxar e repor energias. Continuando a pedalar em direção à Citânia de Briteiros, vamos encontrar o Avepark, um Parque de Ciência e Tecnologia. Na Citânia de Briteiros, as suas ruínas arqueológicas são uma prova extraordinária da existência de um povoado primitivo.

Um percurso de 15 km que mergulha na arqueologia esses livros de pedra que nos falam do passado.

Por Carla Rocha

Mais informações: getgreen.pt@gmail.com

Partilhar Artigo:
Fechar