Revista Rua

2018-08-20T12:12:35+00:00 Património

Sistelo, uma maravilha de Portugal

A pouco mais de uma hora da cidade de Braga, a aldeia de Sistelo situa-se no concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo.
José Gonçalves Lopes
José Gonçalves Lopes16 Agosto, 2018
Sistelo, uma maravilha de Portugal
A pouco mais de uma hora da cidade de Braga, a aldeia de Sistelo situa-se no concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo.

O que torna esta aldeia tão especial? Situada no coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês, muito próxima à nascente do rio Vez, é conhecida pela simbiose perfeita com a natureza, onde o homem habita em plena comunhão com os animais. É conhecida pelo Tibete português, devido às paisagens repletas de socalcos, onde eram cultivados os alimentos para a subsistência da população. A criação dos socalcos teve como objetivo aumentar a superfície de cultivo, diminuindo assim o declive existente, desfavorável à prática da agricultura. Ao visitar o local podemos ver uma inteligente rede de pequenos canais de água que irrigam todos os já férteis socalcos.

A ligação à terra é tão forte que ali se diz que existem mais espigueiros do que casas, tipicamente edificadas em granito, tão típico da região minhota.
É uma freguesia repleta de património, como por exemplo a ponte romana de Sistelo, a igreja paroquial, uma variedade de capelas, como por exemplo a de Nossa Senhora do Carmo e a da Nossa Senhora dos Aflitos, e sem esquecer do cruzeiro e do chafariz.
Saliento o “Castelo” de Sistelo, palácio dos finais do século XIX, altura em que Manuel António Gonçalves Roque, filho da terra, regressou do Brasil e mandou edificar tal monumento, após ter sido concedido as pedras de armas de Visconde de Sistelo.
Para os amantes da natureza é obrigatório o miradouro do Chã da Armada, com uma vista de cortar a respiração, o trilho das Brandas de Sistelo e a Ecovia do Vez, que viaja por grande parte do concelho.

Visitar Sistelo é uma viagem a outros tempos, onde a vida era vivida a menor velocidade, onde a natureza e o que dela provém era o mais importante.
É obrigatório visitar o Sistelo, sob a probabilidade de ser condenado à pena mais grave, não aproveitar o que de melhor Portugal tem.

Fotografias: Marta Alves

Partilhar Artigo:
Fechar