Revista Rua

2018-07-06T17:28:20+00:00 Opinião

Verão na cidade

MINHO CICLÁVEL
Minho Ciclável
Minho Ciclável
2 Julho, 2018
Verão na cidade

Aproveitando a vontade de praia e água desta edição da RUA, gostaria de falar de zonas menos costeiras, mas igualmente merecedoras de lazer.

Somos um país virado para o mar e temos uma costa litoral invejável, mas o resto do país não é, nem pode ser, paisagem. Nesta altura do ano em que o apetecível é uma sombra e um mergulho, nenhum bracarense pode deixar de notar a falta de relação com o verão na nossa cidade.

Valença, Monção, Ponte de Lima, Arcos de Valdevez, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira já perceberam a importância dos seus rios e do lazer em torno dele. As ecopistas do Minho e do Lima são uma alternativa às intermináveis filas de carros a caminho do mar e todos os fins de semana, as margens dos rios enchem-se de famílias que usufruem da natureza em paz.

Braga ainda não acordou para essa realidade. A relação da cidade com o magnífico rio Cávado é praticamente nula. Não há acessos cicláveis às praias fluviais nem ecopistas a serpentear ao lado do rio. Quem atentar nos discursos políticos desde há seis anos, encontrará infindáveis menções a milhões de investimento para ecopistas e ciclovias que tornarão o rio Cávado parte da cidade de Braga, mas a nós, cidadãos, já nos cansam os projetos e as promessas e continuamos a ter uma cidade isolada, fechada dentro de uma circular de betão com cheiro a tubo de escape.

As cidades do futuro são verdes e inclusivas, têm parques e promovem a ecologia. Braga ainda não abraçou esse destino. Betão, túneis, abates de árvores, centros comerciais e uma cidade desenhada para os automóveis é uma coisa muito anos 80, senhores decisores!

São precisas ciclovias que nos liguem ao rio e, já agora, ao monte (quer este seja ao Bom Jesus ou ao Gerês), são precisas infraestruturas que permitam que os bracarenses possam usufruir do verão na sua cidade e não perder duas horas por dia a patrocinar autoestradas para pôr os olhos na água.

Continuaremos a fazer pressão para que um dia se possa encher uma revista RUA com opções ecológicas, cicláveis, com sombra e mergulhos, a descobrir no verão bracarense.

Helena Gomes

Membro da Associação Braga Ciclável

Partilhar Artigo:
Fechar