Revista Rua

2020-10-15T16:24:06+00:00 Gastronomia, Sabores

10 dicas simples para reduzir o desperdício alimentar em casa

No Dia Mundial da Alimentação, deixamos algumas sugestões para que evite o desperdício alimentar.
Redação
Redação15 Outubro, 2020
10 dicas simples para reduzir o desperdício alimentar em casa
No Dia Mundial da Alimentação, deixamos algumas sugestões para que evite o desperdício alimentar.

Por Vera Salazar

Quem não se lembra das compras exorbitantes feitas quando começou o confinamento? Ou até da “luta” pelo papel higiénico nos supermercados? Estes devem ter sido dos momentos mais marcantes deste ano. O facto é que, quando nos vemos rodeados pelo improvável, o primeiro instinto é proteger o que temos. Em tempos pandémicos, encontrar soluções viáveis para racionar bens alimentares e evitar compras desnecessárias é importante e, aproveitando o dia 16 de outubro que celebra o Dia Mundial da Alimentação, a RUA dá algumas dicas para reduzir o desperdício alimentar em sua casa.

Sabia que cerca de um terço da produção alimentar mundial é desperdiçada e 17% da comida é deitada fora ainda antes de chegar aos consumidores? São números que nos fazem pensar sobretudo nos recursos envolvidos na sua produção e no número de pessoas que não tem acesso a estes alimentos. Devido a tal importância vamos indicar rotinas simples de contenção ao desperdício até para salvaguardarmos gerações futuras.

Elabore uma lista de supermercado e planeie as suas refeições

Antes de qualquer coisa, planeie as suas idas ao supermercado, ou seja, em situações que realmente precisa de comprar alimentos. Verifique o que ainda tem e faça uma lista do que precisa de comprar. Isso não será só muito importante para evitar o desperdício alimentar, mas também para perder menos tempo a pensar no que poderá precisar enquanto faz compras. Uma solução também que poderá ajudar é a ida mais periódica às compras e, claro, nunca ir com fome porque é provável que compre mais do que é necessário.

Organize devidamente o seu frigorífico

Pode parecer algo banal, mas é extremamente importante organizar o seu frigorífico, sobretudo em termos de controlo da data de validade para reproduzir um processo de passar esses produtos com menos validade para primeiro lugar. Assim, quando for consumir algum dos alimentos, já sabe que não irá desperdiçar nenhum. É eficaz até para quem tem crianças porque o ajuda a decidir mais facilmente o que lhe pode dar na hora do lanche.

Cozinhe apenas o que é preciso

A frase “vou fazer mais um bocadinho que fica para amanhã” é muito frequente. No entanto, essa não é de todo a melhor opção já que é sempre melhor que chegue, mas não sobre. Assim haverá um maior controlo das sobras.

Reaproveitar as sobras

No caso de o ponto anterior não ter dado certo, não desanime! Vamos sugerir uma série de receitas para reaproveitar as sobras do dia anterior como bolo de batata, salada de frango, espetada de peixe, bolinhos de arroz, massa de camarão, sopa ou batidos de fruta. Outra medida que pode ser muito eficiente ainda dentro das sobras é a reutilização da água, por exemplo da fervura de legumes, para confecionar sopa.

Congelar devidamente o que sobra

Uma das regras base para evitar o desperdiço é congelar o que tiver a mais. Ainda que não seja possível todos os alimentos serem congelados, a grande maioria pode ser guardada no frigorífico ou congelador e estão ainda aptos para ser consumidos passado algum tempo. Porque não experimentar congelar maçãs maduras e depois transformá-las em molho de maçã? Ou fazer pickles de cenouras frescas? Aproveite para ser criativo e invente novos snacks.

É de salientar que a melhor forma de congelar a comida é em tupperwares transparentes ou de vidro, uma vez que em termos de saúde é o mais indicado e evita o esquecimento dos congelados.

Preferência por produtos a granel

Os produtos a granel são os mais indicados quando o assunto é evitar desperdiçar pois temos uma maior capacidade de selecionar o mais indicado para levar. Por vezes, algumas embalagens contêm demasiado e acabam por durar mais do que necessário. Assim, quando temos a noção do que precisamos, a poupança é mais eficaz. Isto vai desde fruta, frutos secos, peixe, carne, etc.

Tornar-se chef dos chás naturais e compotas

Experimente guardar a casca de vegetais, batatas e pepinos, por exemplo, para utilizar em pratos ou refrescos. No caso da carne, pode fazer caldos caseiros e no resto das frutas pode utilizar para fazer chá ou até produtos de skincare. Caso goste de comer fruta com casca, melhor, uma vez que as frutas têm um elevado valor nutricional!

Dê preferência a marmitas

Prefira levar comida em pequenas proporções para o trabalho do que ir constantemente a um restaurante. Assim, irá não só reutilizar o que cozinhou em casa, mas também diminuir os recursos utilizados para confecionar a refeição. Até porque a comida caseira é sempre melhor e quando levada numa marmita é como se pudéssemos transportar um bocadinho de nossa casa connosco. Haverá coisa melhor?

Dê preferência a frutas da época

Apesar de muitas vezes optarmos por comprar frutas em diversas épocas, é importante que seja adquirido o fruto da época, sobretudo em termos da sua maior durabilidade, qualidade e menor quantidade de agrotóxicos que claramente contêm um maior valor nutricional. Desta forma, a laranja, por exemplo, será mais concentrada e saborosa.

Partilhe

Tente ao máximo reaproveitar qualquer produto ou refeição dando a um vizinho ou a alguém que possa reutilizar os alimentos. Em caso de sobra e não haja uma resposta à altura, a melhor solução é partilhar. E, se há algo que aprendemos durante este ano, é que a partilha é fundamental, sobretudo, se queremos realmente evitar o desperdício alimentar.

Partilhar Artigo: