Revista Rua

2019-08-09T16:41:47+00:00 Radar

6 exposições para visitar nos dias chuvosos de agosto

Em dias de chuva, que tal visitar exposições de arte?
Pablo Picasso. Suite Vollard.
Andreia Filipa Ferreira
Andreia Filipa Ferreira9 Agosto, 2019
6 exposições para visitar nos dias chuvosos de agosto
Em dias de chuva, que tal visitar exposições de arte?

O nosso querido mês de agosto tem-nos surpreendido com dias de chuva e a praia ficou fora de planos. Mas, para não passar os seus dias de férias enfiado em casa, temos seis sugestões de exposições imperdíveis até ao final do verão.

Sacrifício, de Mircea Roman, em Vila Nova de Cerveira

O artista romeno expõe Sacrifício na Factory VNC (antigo edifício dos Bombeiros Voluntários) até 15 de setembro. Considerado um dos mais importantes escultores romenos contemporâneos, Mircea Roman apresenta, em parceria com a Fundação Bienal de Arte de Cerveira e o Instituto Cultural Romeno em Lisboa, 11 esculturas de grande dimensão com a utilização de madeira como matéria-prima como denominador comum.  “A escultura de Mircea Roman é de grande expressividade, com meios simples: pedaços de madeira, por vezes pintados a púrpura, por vezes raiados onde a forma e conteúdo são fragmentação do corpo e se tornam expressão dramática da alma”, explica o diretor artístico da Fundação, Cabral Pinto.

Uma vez em Cerveira, aproveite e visite também o fórum cultural, onde a exposição Pure Pop Art, com obras de Andy Warhol em destaque, está em exibição.

Banksy: genious or vandal?, na Cordoaria Nacional, em Belém

Até 27 de outubro, mais de 70 obras de Banksy (cedidas não pelo artista, mas por vários colecionadores privados) estarão expostas na Cordoaria Nacional, em Lisboa. Esta é a primeira grande exposição de obras do artista britânico a quem nunca se viu o rosto. Apesar disso, Banksy é reconhecido pelos seus constantes manifestos artísticos, focando-se em temáticas como questões políticas, culturais, éticas ou sátiras ao mundo da arte. Nesta exposição é possível ver fotografias, esculturas, stencils em telas ou até serigrafias, como a icónica serigrafia original da série Menina com um balão.

Para conhecer melhor esta exposição, clique aqui.

Pablo Picasso. Suite Vollard., no Palácio das Artes, no Porto

Chama-se Pablo Picasso. Suite Vollard. Colecciones Fundación MAPFRE e é uma exposição que traz à invicta uma das mais importantes coleções do século XX até 11 de setembro. São 100 gravuras desenhadas pelo artista espanhol entre 1930 e 1937, que chega ao Palácio das Artes graças à união entre a Porto Taylor’s e o Museu da Misericórdia do Porto. Esta coleção inclui três retratos de Vollard, cinco gravuras que se referem à Batalha do Amor, 46 sobre a Oficina do Escultor, quatro em Rembrandt, 15 que abordam o Minotauro e o Minotauro Cego e 27 composições de diversos temas. A entrada na exposição tem o custo de dez euros, sendo gratuita para crianças até 12 anos. Para os adultos, incluído no bilhete está a oportunidade de provar um cálice de vinho do Porto no espaço Taylor’s, adjacente às salas de exposição.

Novas Babilónias, na zet gallery, em Braga

Até 7 de setembro, a zet gallery, situada na Rua do Raio, em Braga, apresenta a exposição Novas Babilónias, com obras de arte de Acácio de Carvalho, Gil Maia, Mafalda Santos, Manuela Pimentel, Paulo Moreira e Sónia Carvalho. Trazendo seis artistas, de gerações e percursos diferentes, esta exposição assume-se uma “tentativa de resposta (ou amplificação da pergunta) sobre que novas babilónias estamos a construir e como queremos que sejam os lugares onde desejamos viver e não apenas existir”, tal como afirmou a curadora Helena Mendes Pereira. De entrada livre, Novas Babilónias apresenta obras de pintura, de desenho, de referência do azulejo tradicional português, do óleo sobre a tela de linho, da aguarela sobre papel e da cenografia em formatos generosos.

Glen Hague

The Glen Show, de Glen Hague, em Vilamoura

Até 31 de agosto, o pintor Glen Hague expõe no resort algarvio Anantara Vilamoura. Com obras que se estendem à escrita de curtas ghost stories, abordando temas sobre religião, misticismo, política e amor, o pintor britânico traz ao Anantara Vilamoura a sua exposição The Glen Show, que apresenta 23 telas, incluindo três naturezas mortas e quatro peças da série H34D, dedicada à representação de rostos. Obras como Divine LoveThe Red RoomLost HighwayLove is a Cruel Mistress e The Gift são alguns dos destaques da exposição.

Para conhecer melhor este artista, clique aqui.

Geometria Sónica, no Centro Internacional das Artes José de Guimarães, em Guimarães

Fruto de uma coprodução entre o Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG) e o ARQUIPÉLAGO – Centro de Artes Contemporâneas e o Governo dos Açores, a exposição Geometria Sónica, disponível até 6 de outubro, é o resultado das obras e pesquisas de  Francisco Janes, Francisco Queimadela e Mariana Caló, Jonathan Uliel Saldanha, Laetitia Morais, Manon Harrois, Miguel Leal, Mike Cooter, Pedro Tropa, Pedro Tudela, Ricardo Jacinto, Sara Bichão e Tomás Cunha Ferreira, que incorporam o som como material ou como estrutura conceptual. Os artistas de Geometria Sónica trabalharam a partir de um dos Grandes Arquivos Sonoros e Visuais do século XX de Portugal, o Arquivo Audiovisual da RTP.

Partilhar Artigo: