Revista Rua

2018-10-08T11:13:41+01:00 Cultura, Música, Radar

A boa onda de Tiago Nacarato chega ao Theatro Circo a 6 de outubro

Partilhar Artigo:
Fotografia ©Nuno Sampaio
Andreia Filipa Ferreira2 Outubro, 2018
A boa onda de Tiago Nacarato chega ao Theatro Circo a 6 de outubro
Partilhar Artigo:

É um dos nomes emergentes da música em Portugal, marcando já presença em palcos reputados, levando a sua boa onda com influências cariocas ao público que já sabe de cor o seu primeiro single A Dança, lançado recentemente antecipando o sucesso do primeiro trabalho do jovem do Porto. Preparando-se para pisar o “mais belo palco do país”, palavras do próprio, Tiago Nacarato esteve à conversa com a RUA.

“Considero o Theatro Circo muito especial porque, para mim, é a sala mais bonita do nosso país”

O nome Tiago Nacarato surge para a ribalta numa Prova Cega do concurso televisivo The Voice, no ano passado. Aproveitando o tema que apresentaste no concurso, “Onde Anda Você” de Vinicius de Moraes e Toquinho, pergunto: onde andavas tu até àquele momento?

Antes do programa de televisão, já era músico profissional. Já tocava há cinco anos nos bares do Porto, já participava também numa orquestra de baixos e guitarras elétricas e, posteriormente, numa orquestra de Samba, na qual ainda faço parte – a Orquestra Bamba Social. Então, antes do programa, eu era músico na mesma.

As raízes brasileiras são obviamente visíveis na tua música. Podes falar-nos na tua ligação às sonoridades brasileiras?

Tudo começa pelos meus pais, que são brasileiros. Desde sempre que ouço música brasileira em casa. Esse é o primeiro ponto. Depois, à medida que fui estudando música, fui percebendo que a música brasileira é muito rica em termos de melodia e harmonia. A poesia que está contida nas canções também é de alto nível, um nível que não se consegue encontrar em mais lado nenhum.

Fotografia ©Nuno Sampaio

Tens agendados vários concertos no Brasil, sobretudo no Rio de Janeiro e em São Paulo. Sentes que tens sido acarinhado pelo povo brasileiro?

Eu acho que o grande boom na minha carreira foi impulsionado pelo sucesso lá. A internet e, principalmente, o Facebook ajudou muito. Eu sinto todos os dias muito carinho e acho que o povo brasileiro se sente bem representado. É um país que está numa desorganização muito grande em termos políticos e, sentirem que um estrangeiro, longe do país, representa uma música que está quase esquecida, deve ser um orgulho muito grande – não sei bem (risos). Há muitas pessoas curiosas com o meu trabalho – e eu vou alimentando isso.

“Quero mesmo fazer um concerto espetacular, algo que ficasse na memória das pessoas!”

Preparas-te para subir ao palco do Theatro Circo, em Braga, no dia 6 de outubro. O que pode o público esperar deste espetáculo?

É a minha primeira vez, em nome próprio, no Theatro Circo. Até então, tenho apresentado em concerto muitas versões de músicas, mas este vai ser o primeiro concerto em que eu vou ter mais músicas originais, alguns temas acabados de fazer mesmo. No entanto, é inevitável tocar “Onde Anda Você” – e vou levar outra música de Vinicius de Moraes, que se chama “Minha namorada”. E vou levar uma banda espetacular! Uma banda que eu admiro do fundo do meu coração. Adicionei, inclusive, à banda dois nomes especialmente para este concerto (e para mais dois concertos importantes no início do próximo ano): o João Salcedo, que toca teclados e compõe n’Os Azeitonas, e o Edu Mundo, que é para mim um dos maiores compositores em Portugal. O facto de eles aceitarem tocar comigo já é um privilégio gigante, não esmorecendo o papel de Reinaldo Costa (arranjos vocais), de Lucas Wink (bateria), de Tomás Marques (baixo) ou de Fábio Almeida (saxofone). Vai ser essa a formação. Considero o Theatro Circo muito especial porque, para mim, é a sala mais bonita do nosso país. É muito emocionante para mim tocar lá. Queria mesmo fazer um concerto espetacular, algo que ficasse na memória das pessoas!

Saiba mais sobre a carreira de Tiago Nacarato na RUA, em breve, nas bancas nacionais.

Partilhar Artigo: