Revista Rua

2020-05-16T12:09:49+00:00 Histórias

A incomparável grandeza de Bruno Nogueira

Como é que o Bicho Mexe chegou ao fim ontem, com 170 mil pessoas a assistir, em direto, no Instagram do humorista.
Instagram de Bruno Nogueira @corpodormente
Andreia Filipa Ferreira
Andreia Filipa Ferreira16 Maio, 2020
A incomparável grandeza de Bruno Nogueira
Como é que o Bicho Mexe chegou ao fim ontem, com 170 mil pessoas a assistir, em direto, no Instagram do humorista.

Durante quase dois meses, Bruno Nogueira foi a companhia perfeita de uma quarentena. Os seus diretos no Instagram juntaram rostos conhecidos e as conversas – mais ou menos educativas – fizeram os portugueses renderem-se aos pés de um homem que, sentado numa cadeira e munido de (apenas) um telemóvel e um copo de vinho, fazia entretenimento sem guião. O culminar desta aventura (um “até já”, como gostou de chamar) aconteceu ontem à noite, num Natal decretado pelo humorista. Houve luzes às janelas, uma comitiva de carros a seguir Bruno Nogueira, Cristiano Ronaldo na cama, Albano Jerónimo sem calças aos gritos numa rua de Lisboa… e muita emoção espelhada no rosto do comediante. Foram 170 mil pessoas que acompanharam, em direto, o percurso de Bruno Nogueira, conduzido por Nuno Markl, até ao Coliseu para um adeus em canção.

Como é que o Bicho Mexe, desenho de Nuno Markl

O período de isolamento social em Portugal, devido à pandemia mundial de Covid-19, trouxe muito mais do que um sentimento de impotência em relação a um vírus. Trouxe a realidade de que, por vezes, faz-se História em pequenos momentos. Foi isso que Bruno Nogueira, o humorista português de 38 anos que, em fevereiro, encheu o Altice Arena com o seu espetáculo Depois do Medo, fez: História. À medida que os dias iam passando, a simplicidade de um direto de Instagram à qual chamou Como é que o Bicho Mexe [com um genérico de Dillaz] ia ganhando força e relevância e, todas as noites, pelas 23h, mais de 50 mil pessoas se juntavam para assistir ao live que trazia boa disposição e muitas surpresas. Em conversas aparentemente banais, Bruno Nogueira fazia entretenimento sem filtro, com Nuno Markl, João Manzarra, Nuno Lopes, Salvador Martinha, Albano Jerónimo, Beatriz Gosta, Nelson Évora, Inês Aires Pereira, Jéssica Athayde, João Quadros Filipe Melo, entre muitos outros, como “convidados” habituais de um programa inusitado. As surpresas foram acontecendo sem aviso: a atriz Eunice Muñoz a questionar sobre uma peça teatral inventada no momento, a pianista Maria João Pires a tocar ao vivo, o incrível Vhils a esculpir o rosto de Zeca Afonso numa parede de sua casa em celebração do 25 de abril, o locutor Cal Lockwood na rádio Arctic Outpost, no Polo Norte, a ser descoberto, de repente, por milhares de ouvintes portugueses… Tudo isto num direto de Instagram!

Ontem, depois de Bruno Nogueira ter avisado o fim desta saga diária de diretos na semana passada, o que aconteceu foi… épico! Decretando que o dia 15 de maio seria Natal, Bruno Nogueira comprometeu-se a dar umas voltinhas por Lisboa para cumprimentar, à distância, as pessoas. O receio, segundo ele, era que ninguém seguisse o seu apelo e não houvesse luzes de Natal à janela. Mas claro que os seguidores do humorista não falharam! Mal Nuno Markl começou o seu trajeto – como um perito chofer – os ornamentos à janela, os gritos à varanda e os carros e motas em “perseguição” surpreenderam Bruno Nogueira, quase em lágrimas, e os próprios seguidores do humorista, que não desligaram o live até ao fim. Foram 170 mil pessoas ligadas ao Instagram do comediante!

Durante o direto, Bruno Nogueira procedeu às suas habituais chamadas para um agradecimento especial, mas a surpresa chegou com um comentário: Georgina Rodríguez (ou @georginagio no Instagram), a namorada de Cristiano Ronaldo.  A dúvida instalou-se e Bruno decidiu ligar, numa tentativa de perceber se seria mesmo a companheira do jogador português. Sim… era! E, melhor, Cristiano Ronaldo estava lá! Deitado na cama, o “melhor do mundo” mandou abraços de força e agradecimento ao nosso novo “melhor do mundo”, como já fizeram questão de intitular Bruno Nogueira. Foi um momento alto da emissão, só equiparável à chamada para o Polo Norte, onde o locutor Cal Lockwood surgia no seu estúdio decorado com a bandeira de Portugal e…luzes de Natal!

A viagem encaminhou-se para o Coliseu dos Recreios, onde, com todos os cuidados de distanciamento social e máscaras, Bruno Nogueira encontrou o músico Salvador Sobral, que também tinha participado nas conversas durante a quarentena. Mesmo na casa de banho, Salvador Sobral cantou e encantou os seguidores que assistiam.

Pelos corredores, a surpresa chega em saltos: Nelson Évora, o atleta de triplo salto tinha vindo cumprimentar Bruno no seu último direto.

Já no palco do Coliseu, marcado pela plateia vazia, estava Filipe Melo, o pianista que todas as noites embalava os portugueses no fim de cada direto. Aos poucos, os restantes participantes desta aventura de dois meses foram-se juntando no palco para ouvir Bruno Nogueira cantar, em forma de agradecimento.

Sem orçamentos nem guiões, Bruno Nogueira uniu Portugal durante um período de medo causado por um vírus invisível, que se mexia entre nós sem dar tréguas. De forma simples, o humorista provou que merece o título de “melhor humorista português” – como já muitos lhe chamam. Todas as noites, as palavras que davam alento aos portugueses, num loop de “vai ficar tudo bem”, foram companhia inesperada, vinda para nos fazer perceber que o poder de uma rede social pode ser imenso.

Agora, no fim disto tudo, só nos resta perguntar: o que vamos fazer sem ti, Bruno?

Se não viu a despedida de Bruno Nogueira à sua aventura de diretos de Instagram, pode acompanhar tudo aqui!

Partilhar Artigo: