Revista Rua

2021-03-08T10:35:02+00:00 Opinião

A Mulher e o Infinito

Crónica
Catherine Pereira
Catherine Pereira
8 Março, 2021
A Mulher e o Infinito

Oito. O número oito simboliza o equilíbrio, a justiça, a consolidação entre o céu e a Terra, entre o divino e o terreno, aquele que não tem limite, sem começo nem fim.

Já não bastava a feliz coincidência do dia 8, também, coincidentemente, se escolheu para esta data o mês do anúncio da primavera, onde tudo floresce com cor, raça e vigor.

Refletindo nesta simbologia apercebemo-nos que o oito é o número perfeito para desenhar a MULHER, aquela que é uma primavera sem princípio nem fim e que sendo infinita transforma qualquer lugar num lugar melhor.

Desenganem-se aqueles que acham que a MULHER é o “sexo fraco” ou a “parte menor”. Biblicamente fomos criadas a partir da costela de Adão, significando a importância da nossa criação enquanto protetoras, companheiras, estando ao lado do Homem, como se fossemos “a parte que protege as costelas”.

E quem nunca teve na vida a proteção de uma mulher como se de um anjo se tratasse?

Gosto verdadeiramente deste dia oito pela simbologia e importância que ele traz. E gostava que as MULHERES tivessem voz no mês de março e nos outros onze.

Somos muito mais que um dia, somos o calendário inteiro.

E, se um dia, esta data deixar de existir será sinal de que vivemos numa sociedade mais equilibrada e justa, onde HOMEM e MULHER são iguais, onde o género não faz diferença nas sociedades de todo o mundo.

Até lá, até chegar esse dia, vamo-nos afirmando com as nossas conquistas diárias, acreditando que o “caminho só se faz caminhando” e abandonando os preconceitos que apenas não passam disso, de “pré” “conceitos”.

Aos HOMENS que são defensores das MULHERES, obrigada. Efetivamente, apenas diferimos no género e juntos somos sempre mais fortes.

Na verdade, não comemoro este dia, comemoro sim a existência da MULHER, aquela que se afirma cada vez mais na sociedade que representa. Uma sociedade que se espera justa, estável e confiante num poder igualmente divido por géneros.

Sou grata por ser MULHER e estou grata por ter grandes MULHERES na minha vida.

Todas elas, sem exceção. Todas elas que, independentemente da idade, me transmitem amor, energia e equilíbrio. Com elas a meu lado tudo é mais forte, justo e sagrado.

Sobre o autor:
Assessora de Imprensa

Partilhar Artigo: