Revista Rua

2021-03-31T11:04:49+01:00 Cultura, Fotografia, Pintura, Radar

Alberto Giacometti, Peter Lindbergh e Francis Bacon: três grandes artistas chegam ao Porto e Gaia em abril

Três artistas conhecidos mundialmente, duas exposições, um único bom motivo para sair de casa em segurança e apreciar arte.
©Peter Lindbergh (Courtesy Peter Lindbergh Foundation, Paris_Naomi Campbell, Karen Elson, Jayne Windsor, Shirley Mallmann)
Redação31 Março, 2021
Alberto Giacometti, Peter Lindbergh e Francis Bacon: três grandes artistas chegam ao Porto e Gaia em abril
Três artistas conhecidos mundialmente, duas exposições, um único bom motivo para sair de casa em segurança e apreciar arte.

No dia 15 de abril, o MMIPO, na Rua dos Flores, no centro do Porto, reabre com uma exposição conjunta das esculturas de Alberto Giacometti e das fotografias de Peter Lindbergh. Atravessando a ponte D. Luís I, na outra margem do rio Douro, o WOW inaugura, no dia 29 do mesmo mês, a sua Galeria com uma exposição de arte gráfica de Francis Bacon, artista surrealista. É um novo circuito que se abre, unindo cidades, em prol da arte e da região.

 

 
©Peter Lindbergh Courtesy Peter Lindbergh Foundation, Paris ©Succession Alberto Giacometti Found. Giacometti, Paris e ADAGP

Se me perguntassem quais foram os cinco dias mais bonitos da minha vida, aquele com as esculturas de Giacometti seria certamente um dos primeiros três”. Foi assim que Peter Lindbergh descreveu o dia em que foi convidado a fotografar o espólio de Alberto Giacometti, na Fundação do artista em Paris.  O resultado deu origem a uma exposição conjunta, das esculturas de Giacometti e das fotografias de Lindbergh.

Até agora, esta exposição conjunta apenas foi exposta no Instituto Giacometti em Paris. É um diálogo íntimo entre a obra de Alberto Giacometti (1901 – 1966), um dos mais aclamados escultores do séc. XX e a fotografia de Peter Lindbergh, que desvenda uma notória similitude na forma como representam a realidade. Esta iniciativa é também um tributo ao lendário fotógrafo de moda que morreu prematuramente em setembro de 2019 e que esteve totalmente envolvido no processo de trazer a exposição para o Porto.

Sempre adorei os retratos de Giacometti, principalmente os feitos a lápis ou a carvão … De tudo o que ele fez, prefiro mesmo os seus desenhos à escultura …. Acho que durante muito tempo as pessoas não apreciaram condignamente os seus desenhos e, na minha opinião, eles são a coisa mais forte que ele fez.” FrancisBacon, 1990

©The Estate of Francis Bacon - DACS 2021

Saindo do MMIPO, descendo a Rua das Flores e atravessando a Ponte D. Luís I, o Cais de Gaia é um bonito caminho a percorrer até ao WOW. Lá pode ver-se a partir de 29 de abril e até 26 de setembro uma exposição de Francis Bacon. É curioso porque Giacometti e Bacon foram contemporâneos e tiveram, inclusive, boas relações de amizade. Conta-se que o primeiro encontro dos dois foi no início dos anos 60, num café parisiense. Bacon terá abordado Giacometti e ter-lhe-á dito que admirava o seu trabalho. Este foi o primeiro passo de uma amizade que se prolongou até à data da morte de Giacometti, em 1966.

Num projeto ambicioso, as obras gráficas emblemáticas de Francis Bacon revelam a expressividade pictórica com que ele redefiniu a arte figurativa do séc. XX, mas também mostram as tragédias pessoais dos seus últimos 40 anos de vida, numa exposição que pode ser visitada a partir do dia 29 de abril na nova Galeria do WOW.

Partilhar Artigo: