Revista Rua

2021-01-06T14:53:21+00:00 Bússola, Viagens

American Tourister x Revista RUA: as viagens de João Rebelo

Um português viciado em adrenalina.
Redação
Redação6 Janeiro, 2021
American Tourister x Revista RUA: as viagens de João Rebelo
Um português viciado em adrenalina.

Bilhete de Identidade

Nome: João Rebelo

Idade: 24

Curiosidade sobre si: viciado em adrenalina.

Como escolhe os destinos de viagem?

Os meus destinos são maioritariamente escolhidos em função do local onde o sol brilha mais. Sou um amante de calor e, se for possível unir isso a uma cultura cheia de vida, melhor ainda! Acima de tudo, procuro lugares que me preencham o coração.

Top 3 viagens inesquecíveis?

Bali: Bali é um destino que visito todos os anos e onde já vivi largos meses da minha vida. De alguma forma, vou estar sempre conectado com aquela ilha e com todas as amizades que lá deixo de cada vez que regresso a Portugal.

O que fazer? Eu diria que é essencial aproveitar cada segundo do encanto das villas de Bali que não existe em mais lugar nenhum. É pegar na mota, todos os dias de manhã cedo, e partir para uma praia diferente, conhecer os cafés mais cool e acabar a noite nas melhores festas cheias de malta com estilo e boa vibe!

Cuba: Cuba deixou-me de coração apertado em todos os aspetos. Percorri a ilha toda em táxis com os meus dois melhores amigos e conheci pessoas que me fizeram chorar e me marcaram a ponto de me fazerem crescer. Sinto que foi uma viagem que me enriqueceu bastante a nível pessoal.

Onde ficar: Uma das partes mais importantes para mim desta viagem foi o facto de ficar a dormir numa casa de cubanos. Enriqueceu muito mais a minha experiência, por isso, se há algum conselho que posso dar é, sem dúvida, este: ficar em casa de locais!

Sri Lanka: Foi uma viagem menos programada e que me pôs verdadeiramente à prova. Fui só com uma pessoa e vivemos aventuras que não lembram a ninguém!

O que fazer: O Sri Lanka é uma ilha gigante que me deixou cheio de vontade de voltar para continuar a explorá-la. Comecei pelo sul, que é a zona das praias, e se há um must-have, sem dúvida, que é fazer a viagem de comboio. É de tirar o fôlego! E ter em atenção que se deve organizar tudo com tempo, pois as distâncias entre os sítios são, verdadeiramente, grandes.

Histórias curiosas ou peripécias inesquecíveis que tenham acontecido?

As duas histórias mais marcantes que tenho são quando cheguei ao Sri Lanka e nos deixaram no hotel errado, onde não havia internet e tivemos de ir de tuk tuk com as nossas duas malas da American Tourister gigantes ao colo. Quase que nem cabíamos nós e as malas naquele tuk tuk, isto até ao sítio que nem nós sabíamos onde era, mas era longe!

Bali foi, muito provavelmente, o lugar onde me aconteceu de tudo, mas a mais engraçada foi termos ficado sem gasolina e a zona onde estávamos não permitia que se chamassem os ubers de lá devido a conflitos com taxistas. Como não tínhamos dinheiro connosco acabamos a pedir boleia numa carrinha de caixa aberta, cheia de lixo das obras. Foi incrível! No fim, acabaram a querer tirar uma fotografia connosco.

Qual a situação mais maravilhosa, chocante ou diferente que viveu em viagem?

Tenho este momento marcado na minha memória: quando conhecemos dois amigos que trabalhavam no restaurante onde fomos jantar em Cuba. Gostaram tanto de nós que não paravam de oferecer mojitos, mas o chefe deles era muito rígido, então combinamos uma hora para nos encontrarmos na praça principal e acabamos pela noite dentro a falar e a chorar, onde eles partilharam os sonhos que tinham e não conseguiam cumprir, mas estavam a rever os desejos deles em nós. Foi aqui que tive um choque de realidade! Acabámos todos a mergulhar, às 2 da manhã, ao luar, naquelas águas quentes e ainda nos vieram visitar a outra localidade de autocarro! Mesmo com pouco tinham tanto para nos dar!

O que aprendeu numa viagem que ficou como ensinamento para a vida ou que se tornou marcante?

Aprendi que nunca estamos sozinhos e mesmo quando achamos que não somos capazes é porque nem sequer tentámos! Vivi momentos difíceis, não vou negar, mas foi com eles que cresci e me tornei mais independente para tudo!

O que não pode faltar na sua mala de viagem American Tourister?

Quem me conhece sabe que a resposta é um fato de banho e um chapéu!

Dicas de viagem que aconselha seguir?

Não pesquisar muito os voos, só pesquisar quando for mesmo para comprar. Sem dúvida, fazer uma to do list e organizar por dias, sem isto eu acabo sempre por me perder na organização. Importante também marcar, pelo menos, o primeiro sítio onde ficar a dormir.

O melhor de viajar é…?

Conhecer e as amizades que ficam.

Bucket list:

Quero muito ir ao Hawaii. É, sem dúvida, a minha viagem de sonho! Tenho também Nova Iorque e Costa Rica para riscar ainda e tenho muita curiosidade em conhecer as Filipinas porque estive com voo marcado para lá, mas depois aconteceram vários terramotos na ilha e tive de cancelar a ida. Fiquei com o bichinho dentro de mim. Quero muito comer um escorpião em Bangkok que ainda não tive a oportunidade (risos) Onde houver sol e mar, eu vou estar bem!

Para conhecer melhor o João Rebelo e acompanhar as suas viagens, visite a sua página aqui.

Partilhar Artigo: