Revista Rua

2020-12-07T11:33:42+00:00 Negócios

Barracuda Interiors: entre o mar da Comporta e a calçada de Lisboa

Com cerca de 100 metros quadrados, a recém-inaugurada Barracuda Interiors, em Lisboa, é loja-irmã da Barracuda Comporta.
Redação
Redação7 Dezembro, 2020
Barracuda Interiors: entre o mar da Comporta e a calçada de Lisboa
Com cerca de 100 metros quadrados, a recém-inaugurada Barracuda Interiors, em Lisboa, é loja-irmã da Barracuda Comporta.

Por Sofia Rodrigues

A recém-inaugurada Barracuda Interiors, em Lisboa, um complemento da Barracuda Comporta, contempla várias arcadas em pedra, frisos de azulejos, portas de madeira que em tempos pertenceram a uma prisão lisboeta do século XVIII. No fundo, o cenário perfeito para acolher uma mistura eclética de mobiliário do século XX e as várias criações com a assinatura de Alexandre Neimann, fundador do projeto.

Enquanto a boutique da Comporta apresenta um estilo mais rústico e linhas mais puras, com uma paleta de materiais simples – madeira, ferro forjado, fibras vegetais, rattan e gesso -, a boutique de Lisboa agrega peças de madeira e mármore, mas também bronze e metal cromado, apelando a um estilo mais sofisticado e urbano.

No fundo, Barracuda Comporta e Barracuda Lisboa são duas irmãs que se complementam, um luxo reduzido à elegância discreta que homenageia indistintamente os maiores designers do século passado e tesouros anónimos.

Alexandre Neimann | Fotografia ©Francisco Nogueira

De uma visita à Comporta nasce a Barracuda

Alexandre Neimann visitou Portugal pela primeira vez há nove anos e nunca mais conseguiu esquecer o cantinho feito de mar, areia e pinheiros: a Comporta.

Após uma passagem por dois dos maiores ateliers de design de interiores de Paris, onde trabalhou com nomes como Chahan Minassian e François-Joseph Graf, Alexandre decide abrir, em 2016, um pop up na Comporta. Este é o primeiro passo para a mudança definitiva de vida e de país, que acontece em 2018.

Alexandre consegue finalmente expressar-se em toda a plenitude, criando uma loja no rés-do-chão onde expõe objetos de decoração e mobiliário do século XX.

Com uma coleção representativa do seu gosto eclético, Alexandre Neimann diverte-se com uma curadoria de objetos únicos, num equilíbrio perfeito entre artesanato, edição de mobiliário europeu e a procura de antiguidades e peças inusitadas, muitas delas inspiradas nas artes da terra e produzidas pelo talento de artesãos, oleiros, ceramistas ou ferreiros que descobre enquanto viaja por Portugal.

Graças à sua seleção cuidada e original, a Barracuda torna-se rapidamente numa das moradas mais cobiçadas da Comporta.

Paixão pelos objetos

Nascido em Reims, França, em 1988, Alexandre Neimann sempre se sentiu atraído pelo mundo da arte e decoração. Trabalhou para François-Joseph Graf, a personificação da excelência francesa e de uma “decoração de alta costura”, antes de decidir abrir uma loja em nome próprio no 18ème arrondissement onde, durante três anos, vendeu pequenos móveis da segunda metade do século XX.

A paixão pela Comporta trouxe-o a Portugal onde decidiu abrir a Barracuda Interiors, dedicando-se à descoberta de tesouros do passado, ao design e criação de cenários/projetos de interiores.

Alexandre Neimann revela um interesse particular na promoção do artesanato e das técnicas tradicionais, dedicando-se também na Barracuda à criação de peças originais, num processo criativo que se desenvolve quase sempre em parceria com artesãos nacionais.

Estas aventuras no mundo do design vão dar origem a uma coleção-cápsula de mobiliário e peças em cerâmica, madeira, ferro forjado, latão e gesso, que será apresentada já em 2021.

Quase autodidata, Alexandre Neimann é profundamente apaixonado pelo seu trabalho e sobretudo pelos objetos, que descobre, cria e coleciona. “Nunca somos os donos dos objetos, somos apenas os seus detentores por um período mais ou menos longo de tempo”, revela Alexandre Neimann, garantindo que o derradeiro prazer é dar-lhes uma nova vida.

Partilhar Artigo: