Revista Rua

2020-09-28T10:07:46+00:00 Opinião

Battle for the soul of the nation

Política Internacional
João Rebelo Martins
João Rebelo Martins
28 Setembro, 2020
Battle for the soul of the nation

Bernie Sanders é, para mim, o político mais jovem dos Estados Unidos. Claramente não o é em idade, mas consegue manter a beleza das suas ideias, a força do combate e a inteligência que parece que, cada vez mais, desaparece da cabeça das altas figuras dos ainda mais elevados cargos públicos.

Como Social Democrata, se tivesse a oportunidade de votar na “the land of the free and the home of the brave!”, votaria em Sanders. Sem sombra de dúvida.

Porque é que eu gostaria de votar em tão distante país? Porque quer se goste ou não, a política interna norte-americana – já para não falar da externa! – altera muito mais a nossa vida do que as próximas eleições presidenciais portuguesas.

Mas não o poderei fazer porque a lei não o permite – claro! – e porque Sanders, uma vez mais, não conseguiu recolher o voto da maioria dos Democratas, nas eleições primárias.

Infelizmente, digo eu; porque do outro lado está Trump. E vai ser precisa toda a luz do mundo para o tirar de lá.

O Partido Republicano, no final de agosto, fez a sua convenção de quatro dias. Quatro dias de auto-bajulação onde verdade foi conceito que não encaixou bem nas hostes dos elefantes.

Lei e a ordem, a National Rifle Association – a associação cujo objetivo é a proteção da segunda emenda da Constituição, mas que, na prática, defende tão somente o uso indiscriminado de armas de fogo -, um discurso musculado que aponta a insegurança nos subúrbios e, de forma sublime, o problema racial; os emigrantes ilegais são perigosos. Todos? O que seria do passado e do presente dos EUA sem empregadas domésticas, trabalhadores da construção civil, camionistas, caixas de supermercado, taxistas, etc., que entraram ilegalmente naquele país para o tornar na maior potência mundial?

Muitos testemunhos de polícias e, sobretudo, de mulheres brancas, mulheres de polícias, que perderam os maridos durante o serviço.

Biden: anarquista, perigoso, radical, anticlerical. Trump: o melhor presidente do mundo, que defende os valores da América, o que mais fez pela comunidade afro-americana após Lincoln, é preciso reelegê-lo!

Trump e o Partido Republicano, pela primeira vez na história democrática dos EUA, usaram a Casa Branca, a verdadeira casa do povo, para realizar a sua convenção. Misturam constantemente governação e campanha, e agem como se tudo fosse normal.

E o US Postal? Das melhores empresas mundiais de serviço postal, estatal, que apresenta lucros. Será que vão acabar com ela apenas e só para não haver votos por correspondência?

Gostava de ver Sanders a tornar-se Presidente dos Estados Unidos. Não sendo possível, apoio Biden e, sobretudo, a Senadora Kamala Harris.

Battle for the soul of the nation.

Sobre o autor:
Consultor de marketing e comunicação, piloto de automóveis, aventureiro, rendido à vida. Pode encontrar-me no mundo, ou no rebelomartinsaventura.blogspot.com ou ainda em instagram.com/rebelomartins. Seja bem-vindo!

Partilhar Artigo: