Revista Rua

2021-05-26T09:47:37+01:00 Atelier, Moda

Benedita Formosinho apresenta a coleção Cru

A nova coleção de Benedita Formosinho, Cru, destaca-se pelo cada vez maior enraizamento com o que é nacional, tornando a jovem criadora num nome cada vez mais firme no mundo da moda portuguesa.
Redação26 Maio, 2021
Benedita Formosinho apresenta a coleção Cru
A nova coleção de Benedita Formosinho, Cru, destaca-se pelo cada vez maior enraizamento com o que é nacional, tornando a jovem criadora num nome cada vez mais firme no mundo da moda portuguesa.

Para Benedita Formosinho, o mundo da moda não mete nem medo, nem apresenta grandes segredos que possam levar a um sucesso desmesurado. É aliás a sua simplicidade, simpatia e atenção ao público que estarão, muito possivelmente, por detrás da marca em nome próprio, contando já com duas lojas – a primeira, casa-mãe e berço criativo em Setúbal e a segunda na Embaixada do Príncipe Real, em pleno coração de Lisboa.

Começou de mansinho, com cores entre o azul profundo, o ocre, e tons mais neutros, em tecidos fluidos, linhos e algodão. Mas as coleções foram passando e os artigos, feitos em número reduzido para impedir qualquer desperdício ou excesso, esgotando. Existem algumas peças que se tornaram, contudo, as preferidas de uma audiência exclusivamente feminina – sendo novamente produzidas em coleções específicas-, muito graças à difusão através da página do Instagram e de destaques realizados por bloggers mais reconhecidas entre um escasso grupo de “amigas online” (entre elas Maria Guedes, organizadora do Mercado de Natal Winter Market Stylista, onde, claro, Benedita está sempre presente).

Um caso sério de comprometimento sustentável

Desengane-se ainda assim quem pense que Benedita cria e produz para uma elite apenas – não poderia haver maior erro. As peças pensadas, desenhadas, criadas e fabricadas em Portugal possuem apenas elementos naturais portugueses também. É por isso fácil (ou deveria ser por isso fácil) compreender a razão pela qual os valores de cada artigo pudessem ser acima do esperado. Quando falamos em comprar produtos locais e, neste caso, nacionais, temos de ter em conta que os preços justos são os que permitem pagar uma mão-de-obra especializada, com experiência e tarimba. Um comércio justo é exatamente aquele que paga não só pela qualidade de uma marca, mas também pelo ponto de vista económico e social que vão sendo também os motores de pastores, pequenas empresas e fábricas localizadas fora dos grandes centros urbanos. São estas empresas, às quais Benedita recorre para buscar a matéria prima – lãs puras para o Inverno, algodões e linhos para o Verão, que continuam a fazer Portugal pertencer a um nicho de elevada procura por alguns nomes internacionais.

E se por um lado a questão de se fazer bem e em português é um dos selos da marca, a sustentabilidade e intemporalidade são outras duas palavras que fazem parte do mundo de Benedita. Aos tecidos de qualidade associa-se o fator tempo de uso e duração, que neste caso, se torna muito superior. Por outro lado, esta intemporalidade não passa apenas pela qualidade dos materiais. As formas das coleções, as silhuetas mais simples e elegantes que facilmente se podem unir a estilos mais desportivos e casuais, tornam cada artigo em peças que se podem usar sempre – nunca saem de moda e são sempre adaptáveis às “novas realidades” das tendências anuais.

Coleção Cru – a Natureza das origens

Nesta última coleção para a Primavera/Verão de 2021, designada por Cru, é mais uma vez visível que o conceito essencial continua bem presente. Dos tons ocres, cinzas, cores de areia, brancos e cremes, aos tons pastel verdes, secos, que relembram sempre a natureza, os campos do sul amarelados pelo calor, às regiões montanhosas graníticas do norte onde pautam floresta e cursos de água. Relembram aquilo que é nosso, a harmonia que estes contrastes possuem e que nos tornam tão intensos a quem nos conhece e visita. A arte do Cru de Benedita é um regresso às origens, ao bruto e natural, é acima de tudo uma homenagem a Portugal.

Partilhar Artigo: