Revista Rua

2018-12-12T21:45:01+00:00 Cultura, Música, Radar

Cardhouse… cidade enfoque

Cardhouse é o projeto a solo do músico e produtor Daniel Cardoso e "City Blur" é o seu primeiro disco.
Daniel Cardoso
Emanuel Roriz
Emanuel Roriz12 Dezembro, 2018
Cardhouse… cidade enfoque
Cardhouse é o projeto a solo do músico e produtor Daniel Cardoso e "City Blur" é o seu primeiro disco.

Agora que as viagens lhe ocupam imenso tempo, muito por culpa de ter passado a integrar o coletivo britânico Anathema, Daniel Cardoso confessa ter saudades de Braga ao lembrar os tempos que por cá passou. “Gostaria de voltar a viver em Braga porque a qualidade de vida que a cidade tem não se encontra facilmente noutras cidades e eu, por acaso, conheço quase duas centenas de cidades do mundo, mas essa será sempre especial para mim. Até os meus pais comentam o quanto adoravam visitar a cidade quando eu lá estava, da vida e movimento que as ruas de Braga têm, sem perder aquele ar pitoresco e calmo quase típico de uma pequena vila. Visitarei sempre Braga com imenso prazer”. Daniel Cardoso é um criativo musical a quem os termos multi-instrumentista e produtor devem estar sempre associados. Na bateria ou nas teclas, principalmente, mas não pondo de parte as guitarras ou o baixo, Daniel Cardoso já deixou a sua marca em dezenas de discos de vários projetos musicais. Ainda mais, são os discos em que teve mão na função de produtor, ou coprodutor, e é nessa tarefa ligada à edição e gravação que a história do músico se cruza com a cidade de Braga. Ao longo de uma década passada por cá, onde admite que se moldou a si próprio, foi nesta cidade que criou os UltraSoundStudios e onde também cimentou a sua carreira de músico e produtor, para a qual vive agora inteiramente dedicado.

Daniel Cardoso é um criativo musical a quem os termos multi-instrumentista e produtor devem estar sempre associados.

No primeiro trimestre de 2018 aparece pelas ruas com o seu projeto a solo intitulado Cardhouse. É a primeira vez que se pode ouvir Daniel Cardoso a cantar de forma tão explícita e só posso dizer que em boa hora o fez! City Blur é um disco de dark indie, como ele próprio o definiria, orientado para as melodias, na busca de ganchos de produção cativantes. Os elementos de programação eletrónica marcam presença desde o começo ao darem um suave tiro de partida em “Down”, e que se mantêm em linha no início do segundo tema “The Face”. À terceira canção somos brindados por um dos momentos altos de interpretação vocal. “Ink” é um dos temas fulcrais de City Blur. E para quem ainda não estiver decidido a prestar atenção a este trabalho, Daniel Cardoso coloca na faixa número quatro o tema “Extra Mile”, que é onde tem guardados alguns dos melhores ganchos musicais do disco. A par deste colocaria talvez o tema “The Monster” e o seu profundo solo de saxofone. O disco vai-se desenrolando entre momentos bem diferenciados, onde as canções crescem até que desaguam em refrões com melodias memoráveis. Bons exemplos disso são canções como “Unintentional”, “Too Close”, “And So We Die”, ou a sentida despedida com “Unchained”… e o que dizer da inesperada homenagem a Chris Cornell no final da faixa bónus “Ink Live”? Vale a pena deixarem-se surpreender.

Este é um castelo de cartas ainda no início da sua construção e pode, por aí, deixar à vista um ou outro ponto frágil. Contudo, o talento e a valentia de Daniel Cardoso fazem-nos perceber que o músico está mais do que preparado para suportar tufões e furacões… “i’m gonna take you to the extra mile”.

Partilhar Artigo: