Revista Rua

2020-11-18T16:33:54+00:00 Bem-Estar

Carina Barbosa: “Este ano é a prova da importância de nos alimentarmos corretamente”

Cozinhar com os Chakras é o nome do mais recente livro da autora e terapeuta espiritual, Carina Barbosa.
U-FIT
U-FIT18 Novembro, 2020
Carina Barbosa: “Este ano é a prova da importância de nos alimentarmos corretamente”
Cozinhar com os Chakras é o nome do mais recente livro da autora e terapeuta espiritual, Carina Barbosa.

Cozinhar com os Chakras é o nome do mais recente livro da autora e terapeuta espiritual, Carina Barbosa, que nos despertou o interesse para mergulharmos neste mundo da espiritualidade e da sua ligação com a alimentação equilibrada, entendendo o impacto das escolhas alimentares na nossa disposição, bem-estar e estabilidade emocional.

Autora também do site Be Pure Inside, é nesta plataforma digital que promove a partilha de conhecimento, dicas e receitas saudáveis para que mais pessoas possam reconhecer e reiterar escolhas mais benéficas para si.

A propósito do lançamento do seu segundo livro, repleto de conselhos e receitas à base de uma alimentação 100% vegetal, Carina Barbosa fala-nos das emoções que se podem viver numa cozinha e do quão é oportuno repensarmos os nossos hábitos alimentares.

Gostávamos de começar esta entrevista por propor à Carina uma breve explicação do que é que se entende como chakras e do papel que eles desempenham na nossa vida. Que explicação nos pode dar?

Os chakras são campos energéticos, são energias que vibram dentro de cada um de nós. Cada chakra tem uma cor, uma energia e também está associado a um ou mais órgãos do corpo. Estes vórtices estão sempre em constante movimento circular para permitirem a circulação da energia. Servem de ponte entre o corpo espiritual e o corpo físico.

Existem sete chakras principais que estão distribuídos ao longo do corpo na vertical. O primeiro, o chakra da raiz (vermelho), está ligado ao enraizamento aqui na Terra, a nossa sobrevivência, tudo tem de estar estável para que a pessoa esteja estável também. O segundo, o chakra do sacro (laranja), está ligado às emoções, à profissão e à família, pelo que é importante estas áreas estarem equilibradas para que a pessoa se sinta confiante. Assim vem o terceiro chakra do plexo solar (amarelo), que traz precisamente o poder pessoal, o equilíbrio de acreditar em si mesmo. Depois o quarto chakra do coração (verde) permite sentir o amor-próprio e a gratidão, ao passo que o quinto, o chakra da garganta (azul), está ligado à comunicação, à expressão e ao propósito de vida. Já o sexto chakra do terceiro-olho (azul índigo) liga à intuição, ajuda no desenvolvimento dos dons espirituais, enquanto o último, o sétimo – chakra da coroa (violeta) – liga diretamente ao mundo espiritual, traz a iluminação, o equilíbrio, a felicidade e a alegria.

Alinhar os chakras: o que é que pressupõe este equilíbrio e como é que se consegue atingi-lo?

Alinhar, equilibrar e energizar os chakras permite que estas vibrações energéticas possam vibrar de forma equilibrada na energia da pessoa. Os chakras ao situarem-se ao longo do corpo na vertical, permitem a ligação direta da Terra ao Universo, assim é importante estarem num caminho alinhado verticalmente, uma vez que isso permite que todas as áreas da vida também se equilibrem.

A tomada de consciência é uma das primeiras formas de atingir o equilíbrio: ao encontrar o que está a bloquear alguma área da vida, descobre-se qual o chakra que precisa de maior atenção. Existem mais formas de equilibrar, energizar e alinhar os chakras, que pode ser através da meditação, da compreensão, do perdão, da aceitação e também pela alimentação equilibrada.

Recorrendo ao título do livro Cozinha com os Chakras, qual é a ligação desta prática ancestral com a nossa alimentação?

Os chakras são energias e tudo o que nos rodeia também é energia, assim tudo o que fazemos está diretamente ligado aos chakras – os vórtices de energia. Os alimentos têm uma vibração, cor e energias diferentes: os alimentos à base de carne, peixe, lacticínios e ovos têm uma vibração mais pesada e densa, enquanto que os alimentos à base de vegetais têm uma vibração mais leve e positiva. Como a alimentação é uma das principais práticas do dia a dia, ao escolher alimentos leves, a energia vai ser mais equilibrada e ao escolher a vibração certa de cada alimento é possível equilibrar o chakra a que essa cor e vibração pertence.

No livro, a Carina sintetiza algumas dicas para nos “energizarmos” no ato de cozinhar. Não queremos ser spoilers, mas como é que se consegue e porque é que é tão importante fazê-lo em momentos à partida básicos, como cozinhar, servir e comer?

A energia espiritual é uma ferramenta sempre presente, assim ela está presente em todos os momentos da vida. Se a pessoa estiver a cozinhar com uma energia triste, bloqueada e densa, essa energia vai passar para os alimentos, ao passo que quando é cozinhada com alegria e boa vontade a energia também é enviada aos alimentos. Por isso, é muito comum quando uma refeição é cozinhada com muito amor, torna-se mais saborosa.

O mesmo acontece ao colocar os alimentos no prato, um prato bem servido e organizado oferece mais equilíbrio. No momento de servir, é importante seguir uma ordem pela qual precisa mais para o momento presente, mais vegetais, hidratos, proteína, oleaginosas, uma fruta e mimar-se com um doce.

No momento de comer é precisamente quando os alimentos vão ser ingeridos e, por isso, também é um ato importante, podem ser energizados para aquilo que a pessoa mais precisa, aqui é colocar a energia que é necessária. Todas as moléculas recebem estas energias e é importante colocar-lhes energias de alta-vibração para que possam trabalhar no interior. Enviar aos alimentos ou à água, por exemplo, a energia de cura, de desbloqueio, de amor ou de gratidão. Equilibra não só o momento presente como o “eu interior”.

Os nossos hábitos alimentares influenciam, entre tantos outros fatores, a nossa disposição e motivação diária. Neste sentido, que alimentos devemos privilegiar?

Os alimentos à base de vegetais têm energias mais leves e positivas, neste caso todos eles devem ser a base da alimentação. Em relação aos chakras como existem alimentos mais direcionados para um certo chakra, podemos privilegiar consoante aquilo que queremos harmonizar.

Por exemplo, se há algum bloqueio a nível de emoções e visto que o chakra do sacro é laranja, todos os alimentos desta cor são alimentos indicados para o energizar, como por exemplo: as cenouras, a abóbora, as laranjas. Se queremos enraizar uma prática, como por exemplo o desporto, então é importante equilibrar o chakra da raiz, neste caso todos os alimentos de cor vermelha ou do interior da terra são os indicados: leguminosas, beterrabas, batatas, morangos.

E quais devemos cortar da nossa alimentação?

Todos aqueles que têm uma vibração mais densa e negativa, que são os alimentos de origem animal: a carne, o peixe, laticínios e ovos. Estes alimentos para além de bloquearem os chakras e assim bloquearem várias áreas da vida, trazem consequências ao corpo físico, emocional, mental e espiritual.

A Carina é vegetariana. Considera que é uma prática cada vez mais procurada ou a falta de conhecimento de opções alimentares leva a que as pessoas desistam de tentar mudar a alimentação? É fácil hoje em dia e com as opções disponíveis fazer esta transição?

Acredito que esta é uma prática cada dia mais procurada. Em 2002, quando iniciei a minha transição e deixei de consumir carne, era complicado encontrar certos alimentos e produtos. Hoje em dia, cada vez mais vemos prateleiras com imensas variedades e já com a indicação vegan o que ajuda muito a encontrar o produto. Já existem produtos 100% vegetais para todos os gostos, desde refeições preparadas, substitutos da carne e do peixe, iogurtes e queijos vegetais, molhos e gelados. Existem cada vez mais variedades para todos os estilos de vida, desde refeições mais rápidas de confecionar, às que requerem mais tempo de preparação (é importante haver muita variedade, pois existem muitos estilos de vida e se existe a oferta nos produtos de origem animal, é importante que exista nos produtos de base vegetal).

O que acredito que leva as pessoas a desistirem ou a não iniciarem este tipo de alimentação já não é tanto a falta de procura, mas sim não permitirem o tempo necessário para que o corpo e os hábitos diários se habituem aos novos sabores e práticas. É também a ideia de que a alimentação vegetariana é monótona, não tem sabor, ou que é difícil de preparar (quando até se torna mais prática) ou que requer muitos cuidados com o que se deve comer no dia a dia, devido às vitaminas, proteínas, ferro, cálcio, etc. E a mais comum é a procrastinação de mudar um hábito já tão enraizado na sociedade.

Paralelamente ao lançamento de dois livros de dicas e receitas, é também através do site que a Carina procura partilhar conselhos e práticas essenciais para uma vida mais saudável e equilibrada. O que é que lhe interessa mais explorar?

Todo o lado espiritual já me desperta desde a infância, assim como a alimentação, que começou a ter contornos mais importantes quando me tornei vegan. O que gosto de trazer ao mundo é uma espiritualidade fácil e acessível a todos e, neste sentido, ligar a espiritualidade a várias práticas diárias como: a alimentação, conexão, meditação, compreensão, perdão, libertação de traumas, medos e receios. Mostrar que a nossa base é a evolução e com ela vem tudo o que é amor: amor a nós mesmos, aos animais, ao planeta e a todo o Universo. Neste sentido, vamos tornando e encontrando um mundo mais alegre e espiritualmente mais evoluído.

Num ano tão atípico e particularmente desafiante, é ainda mais importante procurarmos um equilíbrio que nos permita viver em harmonia, nomeadamente na tríade corpo-mente-espírito?

Este ano é a prova da importância de nos alimentarmos corretamente. Todos os alimentos de vibração densa e negativa atraem mais cansaço e doenças, ao passo que os alimentos leves e positivos criam uma barreira a estas energias. Assim é importante dar ao corpo físico alimentos de base vegetal, de cores e sabores variados. Por exemplo: as beterrabas, os mirtilos e os vegetais de folhas verde escuras fortalecem o sistema imunitário e são ótimos no combate aos vírus e células cancerígenas. Por isso, uma alimentação 100% vegetal não só traz mais alegria, energia e motivação, como integra energia positiva no corpo, mente e espírito.

Fica a dica: trazer o famoso arco-íris para a alimentação, uma vez que as cores do arco-íris são precisamente as cores dos sete chakras principais.

Partilhar Artigo: