Revista Rua

2019-06-21T15:33:30+01:00 Negócios

Casulo, o poder do minimalismo

Partilhar Artigo:
Andreia Filipa Ferreira21 Junho, 2019
Casulo, o poder do minimalismo
Partilhar Artigo:

Ana Morais é uma mãe de 36 anos que encontrou no macramé a originalidade para o seu olhar criativo. Criando peças de decoração minimalistas e graciosas, Ana Morais tem sob sua alçada a Casulo, uma marca bem portuguesa, com um twist contemporâneo.

Ana Morais

A história da Casulo começa há cinco anos, através de Ana Morais, jornalista de formação e apaixonada por viagens e atividades manuais. O objetivo era simples: fazer algo diferente e original, criando peças únicas que levassem beleza e carisma a espaços outrora sem alma. “Sempre fui apaixonada por decoração e design e via muito lá fora este tipo de peças. Durante a minha licença de maternidade, comecei a aprender macramé de uma forma autodidata e passado uns meses lancei online a minha primeira coleção, que esgotou no dia seguinte”, explica-nos, orgulhosa, Ana Morais. “Na Casulo ofereço peças únicas e intemporais, simples e minimalistas, que acompanham as tendências. Uso estruturas em madeira ou metal e maioritariamente cordão 100% algodão”, acrescenta.

Dando ao macramé uma posição de destaque, Ana Morais retira da moda, da fotografia, da arquitetura, das viagens e do design internacional as suas influências e inspirações, numa tentativa de valorizar esta técnica manual e apresentar sugestões contemporâneas e apelativas. “O macramé não tem muita tradição em Portugal (pelo menos não tanto como o bordado ou o crochet). As antigas peças de macramé dos anos 70 eram demasiado rebuscadas e, hoje em dia, não faziam sentido. Então, a missão da Casulo é usar a técnica dos nós com um twist contemporâneo, criando peças simples, minimalistas e graciosas”, refere a responsável da marca, aproveitando para mencionar que o timing de criação da marca foi pertinente para o sucesso já alcançado. “Quando comecei, não havia nada do género em Portugal. A Casulo foi pioneira nesta área”, destaca Ana Morais, afirmando que o reconhecimento nacional e internacional já alcançado é o melhor balanço de negócio que podia ter para a sua marca.

Garantindo a personalização de peças, respeitando os anseios dos clientes, Ana Morais tem vindo também a desenvolver um serviço de consultoria de decoração através da Casulo Interiors. “Gostava de apresentar algo bastante diferenciado do que já se vê. É muito importante estar em constante desafio artístico e não fazer igual a tudo o resto que se vê à nossa volta. Há que ter um cunho muito pessoal e distinto. Só assim conseguimos fazer algo apelativo”, assegura.

Partilhar Artigo: