Revista Rua

2020-02-26T18:27:30+00:00 Cultura, Música

Ciclo de Jazz de Valença reinventa-se a cada edição

Partilhar Artigo:
MAU ©Miguel Estima
Miguel Estima26 Fevereiro, 2020
Ciclo de Jazz de Valença reinventa-se a cada edição
Partilhar Artigo:

Começando mais tarde do que habitualmente, a Câmara Municipal de Valença, juntamente com a Quinta do Caminho, oferecem aos Valencianos e peregrinos, sejam do Caminho Português, sejam dos amantes de jazz, seis propostas musicais para os próximos três meses, na terceira edição do Ciclo de Jazz de Valença.

O ciclo começa já no próximo dia 7 de março no Auditório do CILV, no Instituto Politécnico, com os MAU. O projeto do Miguel Ângelo Utopia (MAU), que junta Miguel Moreira na guitarra e Mário Costa na bateria, vai iniciar de uma forma mais experimentalista e mais improvisada o evento deste ano.

Como habitualmente a Quinta do Caminho oferece o segundo concerto, com os The Dark Jungle, primeiro projeto liderado por Rogério Francisco, que conta com temas originais do quarteto, sobem ao palco dia 21 de março. Cada um dos temas tem um propósito específico que será expressado pelos músicos através da interpretação de melodias e da improvisação/interação, criando diversos ambientes onde o material produzido por cada instrumentista resultará num espaço sonoro que promete envolver o ouvinte.

Dia 3 de abril –  e de regresso ao auditório CILV –   é tempo da prata da casa reluzir e mostrar-se. O quarteto Kasual Quartet irá certamente fazer as delícias do amantes do bom jazz. Na Quinta do Caminho e após as celebrações da Páscoa, a 18 de Abril, Nuno Trocado apresenta-se em quarteto como Naiad Splash.

No dia 2 de maio e para finalizar os concertos no auditório do CILV, o trio Fuzzo, vai dar uma batida de “improvisação livre acumulada” deste ciclo.

Para finalizar de uma forma elétrica, o ciclo Filipe Teixeira trio vem à Quinta do Caminho no dia 16 para mostrar o mais recente disco de originais Tão, acompanhado pelo exímio João Mortágua no saxofone e Acácio Salero na bateria.

Seis noites do melhor jazz com cheiro a primavera. Todos os concertos são de entrada livre e tem início às 21h30.

Partilhar Artigo: