Revista Rua

2020-12-09T12:31:28+00:00 Cultura, Outras Artes

City to city: Cidades Criativas da UNESCO criam galeria virtual

No dia 10 de dezembro, pelas 14h00, acontece a inauguração oficial online da galeria.
Redação9 Dezembro, 2020
City to city: Cidades Criativas da UNESCO criam galeria virtual
No dia 10 de dezembro, pelas 14h00, acontece a inauguração oficial online da galeria.

Por Sofia Rodrigues

Em 2020, procurando dar resposta a um tempo com particulares desafios colocados ao meio artístico e cultural, nove Cidades Criativas da UNESCO em Media Arts uniram esforços para apoiar os artistas de Media Arts das suas cidades. O resultado é uma galeria virtual com obras criadas online.

Em setembro, foi dirigida uma open call aos artistas de cada uma destas Cidades Criativas: Austin (EUA), Braga (Portugal), Cali (Colômbia), Changsha (China), Guadalajara (México), Karlsruhe (Alemanha), Kosice (Eslováquia), Sapporo (Japão), e York (Reino Unido). Os vencedores receberam uma bolsa no valor de 1000€ para desenvolverem online e em duplas uma obra digital que refletisse sobre o tema Human Responsibility.

No dia 10 de dezembro, as obras finais, que resultaram da colaboração online entre os artistas vencedores, vão ser apresentadas numa galeria virtual.

No mesmo dia, pelas 14h00, também acontece a inauguração oficial online da galeria, na qual vão estar presentes artistas e representantes das nove Cidades Criativas participantes, incluindo o presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, bem como alguns representantes da UNESCO e o Professor Peter Weibel, Diretor do Center for Art and Media Karlsruhe.

Esta inauguração é aberta ao público, que pode assistir ao evento através da página de Facebook da Braga Media Arts.

João Carlos Pinto ©Hugo Sousa

Human Responsibility: por uma utilização responsável da tecnologia

O tema proposto aos artistas, Human Responsibility, pretende refletir sobre o impacto da ação do ser humano no planeta e a importância da arte e da empatia para uma utilização mais responsável da tecnologia.

Cada dupla de artistas partiu de três questões principais: tem a tecnologia capacidade para resolver os problemas do futuro? Precisamos de mais arte e empatia de forma a conseguirmos usar a tecnologia de forma mais responsável? Temos o direito de tomar decisões em nome do planeta?, sendo o objetivo principal dar resposta às mesmas através das suas obras.

João Carlos Pinto, o músico vencedor da cidade de Braga

O músico João Carlos Pinto foi o vencedor da cidade de Braga e teve a oportunidade de colaborar com Sarah Degenhardt, a artista vencedora da cidade de Karlsruhe, Alemanha. Nascido a 1998, em Braga, o jovem músico estudou Piano e Composição no Conservatório Gulbenkian de Braga.

João Carlos, o atual diretor artístico do projeto internacional multidisciplinar La Esfera: Colectivo, participou em várias masterclasses e workshops com a presença de conceituados nomes como, Ensemble Recherche, Tristan Murail e Alexander Schubert.

A sua música tem sido tocada em vários locais, nomeadamente em Gaudeamus Muziekweek, Porgy & Bess, Casa da Música, Festival DME, Festival Mixtur, Música Viva Festival e Teatro S. Luiz.

Atualmente, encontra-se a terminar a Licenciatura em Composição na Escola Superior de Música de Lisboa orientado por Luís Tinoco e Carlos Caires.

Enquanto performer tem tocado por toda a Europa, com Pedro Melo Alves, Nuno Rebelo, Victor Taboada, entre outros – utilizando instrumentos eletrónicos que ele próprio constrói e modifica, tendo arrecadado já vários prémios e honras como o 1º prémio de Nano Músicos Eletroacústicos 2016 no Festival DME e a melhor obra no género, com o filme War movie, no Film Music Competition 2016 da Associazione Ravel.

Rede de Cidades Criativas da UNESCO

A Rede de Cidades Criativas da UNESCO foi lançada em 2004 para potenciar a cooperação com e entre cidades que reconhecem a criatividade como fator estratégico de desenvolvimento sustentável a nível económico, social, cultural e ambiental.

As 246 cidades-membro, que fazem neste momento parte da rede, trabalham juntas para uma missão comum: colocar a criatividade e as indústrias culturais no centro dos seus planos de desenvolvimento a nível local e ao mesmo tempo estabelecerem uma cooperação ativa a nível internacional.

Partilhar Artigo: