Revista Rua

2022-12-20T22:28:00+00:00 Cultura, Em Destaque, Música

De Pernas para o Ar com Daniel Pereira Cristo

O músico bracarense canta a tradição no seu novo trabalho apelidado "De Pernas Para o Ar".
Daniel Pereira Cristo @ Hard Club, Porto 2020.07.29 ©André Henriques
Emanuel Roriz20 Dezembro, 2022
De Pernas para o Ar com Daniel Pereira Cristo
O músico bracarense canta a tradição no seu novo trabalho apelidado "De Pernas Para o Ar".

No seu primeiro trabalho em nome próprio, Cavaquinho Cantado, Daniel Pereira Cristo ofereceu à música de cariz tradicional uma roupagem moderna, onde explorou a riqueza melódica do cavaquinho. Agora, traz-nos nova música, num trabalho intitulado De Pernas Para o Ar. Estas novas canções vêm com uma brisa fresca, rejuvenescedora, por se desafiarem a si mesmas e ao ouvinte. A evolução é notória, saltando à vista o amadurecimento que a experiência Cavaquinho Cantado proporcionou ao músico bracarense.

As novas canções apresentam uma abordagem progressiva. Levam-nos a paisagens musicais de relevo acidentado, tal é o encadeamento das dinâmicas, onde a surpresa de um encontro repentino com uma beleza rara se dá ao virar de uma esquina, numa rua de aldeia, algures no nosso país. Como elementos de um quadro, de uma fotografia, podemos aqui apreciar a sonoridade dos nossos cordofones, intimamente ligada ao rendilhado das guitarras, pautada por percussões marcantes, pela companhia do acordeão e pelo entrelaçar de vozes ímpares, em harmonias talhadas com dedicação.

Daniel Pereira Cristo @ Hard Club, Porto 2020.07.29 © André Henriques

A colaboração com outros artistas amplia a dimensão criativa deste projecto. O músico e produtor Hélder Costa é a aposta na continuidade, numa entrega com rasgo muito próprio no arranjo das composições e no trabalho de produção musical. Tiago Torres da Silva é o autor das palavras que acompanham as novas composições “No País de Alice”, a festiva “Fazer o Pino” e a introspectiva “A Voz do Sonhador”. Ele que é um dos letristas nacionais mais requisitados da actualidade, tendo já colaborado com nomes como Gisela João, Rui Veloso ou Ney Matogrosso.

A homenagem continua a ser um terreno familiar à obra de Daniel Pereira Cristo. Aqui é evocada a poesia do heterónimo Alberto Caeiro e a eloquência de Antero de Quental. Carla Pires doa a sua voz em “Tirioni” e na incursão pelo Fado, ao revisitar a canção “Hortelã Mourisca”. Depois de tudo isto, falta apenas testemunhar que a rendição do tema “De não saber o que me espera” eleva o nome de Zeca Afonso acima das nossas cabeças, enquanto desfrutamos de todo este novo rumo, que foi primeiramente apresentado com o tradicional “Arriba ao Monte”.

Daniel Pereira Cristo ©Gonçalo Delgado
Partilhar Artigo: