Revista Rua

2019-03-12T10:34:53+00:00 Cultura, Música

Do Ballroom à Sala de Concerto em Ponte de Lima

©Miguel Estima
Miguel Estima
Miguel Estima12 Março, 2019
Do Ballroom à Sala de Concerto em Ponte de Lima

A Orquestra de Jazz de Matosinhos esteve na passada sexta-feira, 8 de Março, no Teatro Diogo Bernardes em Ponte de Lima, para um concerto intitulado “Big Bands: Do Ballroom à Sala de Concerto” – uma viagem pelos tempos do jazz com a OJM. Da autoria e apresentação de Manuel Jorge Veloso e direção musical de Pedro Guedes, começam a desvendar um pouco mais sobre os caminhos que o jazz tem percorrido, naquele que foi primeiro concerto da série “Viagem Pelos Tempos do Jazz”.

O concerto serviu para colocar em evidência a importância que as Big Bands tiveram na história do Jazz, enquanto formação instrumental indissociável da evolução dos vários estilos jazzísticos. E serviu também para cotejar traços distintivos desse percurso, desde os tempos em que as grandes orquestras eram um elemento essencial à dança nos grandes espaços de diversão públicos, até à atmosfera calorosa dos pequenos clubes e das mais reputadas salas de concerto.

Percorreram um o repertório do chamado “período de ouro” que marcou o trajeto das Big Bands num espaço temporal entre 1925 e 1955. A Orquestra de Jazz de Matosinhos tocou nesta primeira série várias obras das orquestras de Fletcher Henderson, Jimmie Lunceford, Duke Ellington, Count Basie, Benny Goodman, Tommy Dorsey, Artie Shaw, Dizzy Gillespie, Woody Herman, Stan Kenton ou Gerry Mulligan, arranjadores, compositores e maestros de orquestra de referência nesse período.

Fotografia: ©Miguel Estima

Partilhar Artigo: