Revista Rua

2021-05-05T15:54:08+01:00 Cultura, Música

“Drama” é o novo álbum de Rodrigo Amarante

O novo álbum do artista chega a 16 de julho. Rodrigo Amarante já anunciou uma tour em 2022 com duas datas em Portugal.
Fotografia ©Eliot Lee Hazel
Redação5 Maio, 2021
“Drama” é o novo álbum de Rodrigo Amarante
O novo álbum do artista chega a 16 de julho. Rodrigo Amarante já anunciou uma tour em 2022 com duas datas em Portugal.

Natural do Rio de Janeiro, Rodrigo Amarante anuncia o seu novo álbum, Drama, que chega a 16 de julho – ao mesmo tempo que reedita o seu álbum de estreia Cavalo (2014). Com uma tour já agendada para 2022, com duas datas para Portugal (18 de Abril, na casa da Música, no Porto e em Lisboa, a 19 de Abril, no Capitólio), o músico apresentou já o primeiro single deste novo trabalho: chama-se “Maré”, uma canção otimista e aparentemente feliz, que encerra detalhes menos alegres, escondidos sob a superfície. “Maré” baseia-se num provérbio espanhol que vaticina algo como “a maré leva o que traz”. “Coisas que nos chegam às mãos graças ao destino, também nos são facilmente retiradas”, explica Rodrigo Amarante que, além de autor da música, assina a realização do vídeo. “Esta canção é sobre como moldamos o nosso destino e carácter, pelo que ansiamos, desejamos, sonhamos, apesar do resultado. O vídeo não é sobre isso, é sobre como escrever a música, ou qualquer música, não sobre a música em si. É uma representação da escrita, um olhar sobre a obra que vai produzir a magia que está escrevendo, voltando assim ao que molda meu próprio destino, meus desejos e anseios, do que fala a música. Digo mágica porque há um elemento imprevisível na escrita, mas é uma atividade mental: aí reside o drama”.

Drama começou a tomar forma no final de 2018, com a banda de Rodrigo Amarante – “Lucky” Paul Taylor na bateria, o baixista Todd Dahlhoff, Andres Renteria na percussão e Amarante na guitarra. Ao longo do processo de composição e gravação em 2019, algumas músicas foram retiradas do fundo das gavetas e outras ideias surgiram. No início de 2020, com o álbum ainda por terminar, a pandemia obrigou Los Angeles a um lockdown e Rodrigo Amarante viu-se sozinho, aproveitando para adicionar overdubs e misturar as canções com Noah Georgeson, embora os dois nunca estivessem na mesma sala. Sem surpresa, o isolamento acabaria por ditar o som do álbum. “O bloqueio e a limitação produziram ótimas ideias. Comecei o álbum querendo focar no ritmo e na melodia, abandonar aquelas ricas progressões de acordes e modulações que herdei do Brasil e ser mais direto por um tempo. Enquanto escrevia, percebi que havia um gatilho para mim naquela tentativa, uma sombra do garoto de cabeça raspada que eu deveria ser, sugando-o. Em vez disso, abracei as complicações que herdei”.

Descubra o novo trabalho de Rodrigo Amarante, já em pré-venda.

Partilhar Artigo: