Revista Rua

2021-07-29T14:26:00+01:00 Radar

Eixo Cultural A25: uma agenda cultural que une Aveiro, Guarda e Viseu

As iniciativas que completam o Eixo Cultural A25 acontecem maioritariamente ao ar livre, em espaços públicos de interesse cultural e turístico.
©D.R.
Redação29 Julho, 2021
Eixo Cultural A25: uma agenda cultural que une Aveiro, Guarda e Viseu
As iniciativas que completam o Eixo Cultural A25 acontecem maioritariamente ao ar livre, em espaços públicos de interesse cultural e turístico.

Os municípios de Aveiro, Guarda e Viseu anunciam um novo projeto cultural inovador e dinâmico que visa a fruição de todas as vertentes da cultura e a promoção da atividade turística nas três cidades. Eixo Cultural A25 – Rede de Criação e Programação é uma proposta que se apresenta sob a forma de “Concertos Improváveis, Residências Emergentes e Instalações de Luz no Património”.

Começando pela vertente da música, a programação contempla dois programas orquestrais originais, criados especificamente para o projeto em questão, apresentando a Orquestra Filarmonia das Beiras e a Orquestra Filarmonia e a Orquestra Filarmónica Portuguesa. Ambas são formadas, maioritariamente, por jovens músicos que têm aqui uma oportunidade para alargar o seu horizonte de trabalho profissional, numa altura particularmente desafiante para o setor da cultura. As duas criações originais integram ainda colaborações com artistas de outras áreas musicais e com reputação nacional e internacional, como António Zambujo e Cuca Roseta. A programação integra dois espetáculos em estreia absoluta, num total de seis concertos.

No caso das residências emergentes, o projeto propõe uma cocriação musical a partir de um conjunto de residências destinadas a bandas, artistas e coletivos emergentes, em diversas áreas, como a música pop e rock. A programação contempla três momentos: Himalion (Aveiro) + Bang Avenue (Viseu), de 26 de julho a 7 de agosto; César Prata (Guarda) + Le Bruit (Aveiro), de 27 de agosto a 10 de setembro; Smoke Hills (Viseu) + Rogério Peixinho (Guarda), de 6 a 15 de setembro.

Nos dias 24 e 25 de setembro, os centros históricos das três cidades iluminam-se. A luz é o recurso central de toda a proposta imersiva, aliando a arte contemporânea com os lugares de maior relevância patrimonial das cidades que contemplam o projeto. As intervenções urbanas são desenvolvidas através de processos colaborativos em formato de residências artística.

Eixo cultural enquanto ponto de encontro e A25 por se tratar de uma via que irá levar a cultura a diferentes palcos do país. Atendendo ao momento atual, as iniciativas que completam o Eixo Cultural A25 acontecem maioritariamente ao ar livre, em espaços públicos de interesse cultural e turístico, como centros históricos, recintos de monumentos, parques e jardins, entre tantos outros lugares de interesse patrimonial. O objetivo passa por promover a visita a estes mesmos locais de património cultural e natural, assegurando todas as medidas de segurança necessárias.

Os lugares onde as ações da programação acontecem são ícones patrimoniais e de arquitetura contemporânea, assim como lugares e espaços reconhecidos pela sua localização privilegiada no contexto de interesse cultural. A programação contempla três ações cujas iniciativas se expressam em todos os municípios promotores, assumindo uma lógica efetiva de trabalho em rede, no âmbito da qual se partilham processos de criação artística, apresentações e projetos complementares.

A programação pode ser conhecida na íntegra aqui, salientando que o acesso aos momentos culturais são de entrada livre.

Partilhar Artigo: