Revista Rua

2019-10-28T10:44:29+00:00 Cultura, Outras Artes, Radar

Erva Daninha apresenta a sua criação no palco do CCVF, em Guimarães

A companhia Erva Daninha apresenta a sua nova criação "Vão" no Centro Cultural Vila Flor.
Vão ©Susana Chicó
Redação28 Outubro, 2019
Erva Daninha apresenta a sua criação no palco do CCVF, em Guimarães
A companhia Erva Daninha apresenta a sua nova criação "Vão" no Centro Cultural Vila Flor.

No dia 2 de novembro, a companhia Erva Daninha apresenta a sua nova criação Vão, no palco do Grande Auditório do Centro Cultural Vila Flor (CCVF), em Guimarães.

Esta companhia regressa aos palcos vimaranenses com uma nova peça intitulada de Vão. Dois criadores, de duas gerações diferentes, enfrentam-se num campo de circo contemporâneo onde o risco e a ilusão conduzem o espetador através da acrobacia e manipulação de objetos.

Vasco Gomes, malabarista e diretor artístico da companhia Erva Daninha, e Leonardo Ferreira, acrobata recém-formado pelo Centre Nacional des Arts du Cirque em França, já passaram pelo CCVF, com a peça Três, apresentada no Circus Arts.

Em Vão, não existe um texto ou um alinhamento que funciona como fio condutor para a criação e este fator é determinante, fundamental e um dos maiores desafios. Partir do nada, expor os corpos no espaço e na relação com os objetos para chegar a uma composição que contém em si tudo o que do nada possa surgir estimulado por textos, imagens, vídeos, conversas.

Partindo do real para o imaginário ou abordando o simbólico através dos objetos e das situações, a Erva Daninha partilha: “O objeto símbolo é elementar no processo criativo da companhia. A escolha do objeto certo e simbólico para cada momento ou mesmo para todo o espetáculo é o que nos faz ligar à realidade, alterar o sistema e manipular a perceção física da situação. Todos os símbolos unidos para falar da vida como ela é, frágil e intensa. O símbolo é comunicação, o objeto a realidade e as técnicas de circo o desafio de unir estes domínios de forma extraordinária”.

Esta peça resulta do programa de Convite à Criação Artística Nacional promovido pela 5 Sentidos, uma rede criada em 2009, no âmbito do QREN 2007-2013, com o intuito de promover a programação cultural e a produção artística em rede, organizando digressões de espetáculos e apoiando a produção de novas criações através de cofinanciamento, coproduções e residências artísticas.

Os ingressos para assistir a esta peça têm o valor de dez euros ou 7,5 euros com desconto e encontram-se disponíveis nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor, Centro Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), Casa da Memória de Guimarães (CDMG) e Loja Oficina (LO), bem como nas lojas Fnac e online em www.ccvf.pt e oficina.bol.pt.

Partilhar Artigo: