Revista Rua

2019-09-20T10:35:51+01:00 Radar

Expressões que aprendemos com a Beatriz Gosta

As expressões que Beatriz Gosta utiliza no seu discurso deixa-o perdido? Nós simplificamos!
Fotografia ©Nuno Sampaio
Maria Inês Neto20 Setembro, 2019
Expressões que aprendemos com a Beatriz Gosta
As expressões que Beatriz Gosta utiliza no seu discurso deixa-o perdido? Nós simplificamos!

Sentada no palco do Teatro Sá da Bandeira, no Porto, Marta Bateira – mais conhecida por Beatriz Gosta – falou-nos da sua irreverente personagem de ficção do YouTube, através da qual aborda temas relacionados com boémia, relações humanas e feminismo, revestido de um humor muito próprio. Numa altura em que está prestes a dar um passo importante na sua carreira, conta-nos os seus anseios e desejos perante o futuro profissional (e pessoal). Das plataformas digitais, saltou para a televisão, onde trabalha como repórter para o 5 Para a Meia Noite, e está atualmente a promover um espetáculo a solo de stand up comedy intitulado por Quem Acredita Vai.

Conhecida pela sua pronúncia do Norte e um sotaque que é já muito próprio, a Beatriz Gosta mantém um discurso carregado de expressões – algumas tradicionalmente populares, outras que são apenas dela.

Cair na gandaia

No vocabulário de Beatriz Gosta, “cair na gandaia” é sinónimo de sair à noite. No Brasil esta expressão é muito utilizada na altura do carnaval e representa essa mesma ideia de festa, diversão, sair da rotina e celebrar a vida.

Traçar um povo

Nos temas que a Beatriz Gosta aborda no seu canal do YouTube, a temática remete muitas vezes para a noção de que a mulher é livre para sair à noite e divertir-se, não deixando de ser uma mulher “séria para casar”.

Grupeta é tragédia humana

Esta foi uma das respostas dadas à pergunta: “Três coisas que a Beatriz não gosta?”. “Grupeta” é uma expressão muito utilizada pelos lisboetas – e não só – e traduz-se como sinónimo de grupo de amigos, categoricamente mais próximos.

Ficar paniquenta/nevrótica/apoquentada

São três das muitas expressões nortenhas que remetem para situações de desagrado ou aborrecimento.

Levada da breca

Esta expressão remete para a caracterização de uma pessoa divertida, brincalhona e lunática.

Gaiteira

A expressão “gaiteira” é muito utilizada no Norte para caracterizar uma mulher alegre, feliz e despreocupada, que se diverte sem pensar na opinião dos outros.

(Es)Tá-me a comer aqui

Marta Bateira referiu que uma das expressões que mais a fazem lembrar da avó é precisamente: “Tá-me a comer aqui” que remete para a ideia de estar com comichão em determinada zona do corpo.

Bola para a frente que atrás vem gente

Não fossem os nortenhos despachados e ágeis, esta expressão é muito utilizada no sentido de que a vida não pode parar, por mais difícil que possa parecer no momento.

Nossa Senhora d’Agrela

É uma referência tal como utilizada na expressão “valha-me Deus”.

Vou-me governar com estes 5€

É uma expressão que remete para a ideia de a mulher utilizar uma quantidade monetária para cuidar dela própria e não só das lides da casa.

Ser travinca

A expressão é também muito referida como “ser travessa” e caracteriza alguém divertidamente tonto.

Partilhar Artigo: