Revista Rua

2019-11-19T18:57:47+00:00 Radar

Fadista Ricardo Ribeiro atua no Festival de Fado de Famalicão

Dia 22 de novembro, Ricardo Ribeiro, um dos destaques da nova geração do Fado Português, atua na Casa das Artes na sexta edição do Festival de Famalicão.
Fotografia ©Adriana Fagundes
Redação
Redação19 Novembro, 2019
Fadista Ricardo Ribeiro atua no Festival de Fado de Famalicão
Dia 22 de novembro, Ricardo Ribeiro, um dos destaques da nova geração do Fado Português, atua na Casa das Artes na sexta edição do Festival de Famalicão.

Texto: Inês Rodrigues

O fadista português sobe ao palco do grande auditório do espaço cultural famalicense no segundo dia do evento, num concerto de apresentação do seu novo disco, Respeitosa Mente. Um projeto totalmente novo e inédito, diferente daquilo a que o artista nos tem vindo a habituar. O músico fala de “numa nova experiência musical” que tem como base a poesia de vários autores, na sua maioria portugueses, com a “mesma voz, a mesma força e paixão”.

Em parceira com o pianista João Paulo Esteves da Silva e o percussionista norte-americano Jarrod Cagwin, o novo trabalho de Ricardo Ribeiro alcançou a segunda posição do top nacional de vendas, na primeira semana do seu lançamento.

Este festival começa na quinta-feira, dia 21, e ficará marcada pelo lançamento de novas vozes do Fado com a grande final do Concurso de Fado Amador, que para além da atuação dos dez finalistas da iniciativa contará ainda com a atuação da fadista Helena Sarmento. Aos três primeiros classificados do concurso promovido pela autarquia famalicense serão entregues prémios no valor de 300, 150 e 100 euros. O júri é composto pelo diretor da Casa das Artes, Álvaro Santos, e pelos fadistas famalicenses Patrícia Costa e Joaquim Macedo.

Este concurso de Fado Amador será no Foyer da Casa das Artes, a partir das 21h30, com entrada livre. A atuação do fadista Ricardo Ribeiro, no dia 22, decorrerá no grande auditório, às 21h30. A entrada tem o custo de 15 euros, reduzindo para metade para estudantes e portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

Partilhar Artigo: