Revista Rua

2019-08-14T16:28:18+00:00 Cultura, Música

Fotorreportagem: X Percursos da Música em Ponte de Lima

A décima edição dos Percursos de Música levou diversas sonoridades às ruas de Ponte de Lima.
Miguel Estima
Miguel Estima14 Agosto, 2019
Fotorreportagem: X Percursos da Música em Ponte de Lima
A décima edição dos Percursos de Música levou diversas sonoridades às ruas de Ponte de Lima.

Os Percursos da Música é um festival de pequeno formato, que enche de música o centro histórico de Ponte de Lima. Ao longo dos últimos dez anos, pequenos recantos da vila mais antiga de Portugal são preenchidos com concertos de todas as correntes artísticas, que vão de certa forma acrescentar uma mais-valia à já vasta oferta turística da região.

Este ano, o evento começou a 16 de julho no Largo de S. João com o exímio pianista suíço Heibert Koch, e desde aí que quase todos os dias contaram com uma atividade. De realçar o trabalho comunitário, que este ano contou mais uma vez com a participação de APPACDM, com um espetáculo resultante da parceria com autores de diversas áreas artísticas.

A Revista RUA marcou presença nos últimos quatro dias do certame, de 10 a 13 de agosto. Estiveram presentes Ricardo Toscano com o seu quarteto, os Irmãos Esferovite, o duo Ton Risco com Jacobo de Miguel, Les Saint Armand e, a fechar a festa, os Sensible Soccers.

O virtuosismo do saxofone de Ricardo Toscano já era conhecido a um bom amante de jazz. É presença assídua nas jams sessions que se realizam no Guimarães Jazz. No ano passado editou pela Clean Feed o seu primeiro disco de originais, disco esse muito aguardado pelos melómanos de jazz. Um concerto que encheu de jazz o Largo da Alegria (curiosamente já na freguesia de Arcozelo), onde está o albergue dos peregrinos. E foram muitos os romeiros que se deslocaram até a este pequeno largo, para ouvir este quarteto, que contava ainda com Romeu Tristão no contrabaixo, João Pedro Coelho no piano e João Pereira na bateria. Um belo serão de sábado foi o que este jovem quarteto proporcionou a todos os presentes.

  • Irmãos Esferovite ©Miguel Estima
  • Irmãos Esferovite ©Miguel Estima
  • Irmãos Esferovite ©Miguel Estima
  • Irmãos Esferovite ©Miguel Estima
  • Irmãos Esferovite ©Miguel Estima

Se no dia anterior o jazz tinha preenchido o largo da Alegria, no final da manhã e início da tarde de domingo a Avenida dos Plátanos e o passeio 25 de Abril foram invadidos por uma arruada com o quarteto dos Irmãos Esferovite. Para além de criarem e dinamizarem de uma forma divertida e engraçada todos os turistas da vila, aproveitaram também para criar uma dinâmica de aproximação do público com a música. É uma forma de “levar” a música às pessoas, não deixando o público indiferente a um evento que conta com mais de 40 espetáculos ao longo de quase um mês.

O duo espanhol Jacobo de Miguel e Ton Risco foram a proposta para o Largo da Matriz para a fresca noite de domingo. Um encontro informal entre este vibrafonista e o pianista em 2006 deu origem a uma formação singular entre estes dois instrumentos. Lançaram o primeiro disco logo no ano seguinte e, ao longo desta última década, deram concertos pela península em vários clubs e festivais. Só no início deste ano é que voltaram ao estúdio e criaram o segundo disco que vieram apresentar em Ponte de Lima. Para além destes dois instrumentos, Ton utiliza também a precursão, tocada com as mãos, dando um toque muito mais orgânico a toda a dinâmica das melodias.

  • Les Saint Armand ©Miguel Estima
  • Les Saint Armand ©Miguel Estima
  • Les Saint Armand ©Miguel Estima
  • Les Saint Armand ©Miguel Estima
  • Les Saint Armand ©Miguel Estima
  • Les Saint Armand ©Miguel Estima
  • Les Saint Armand ©Miguel Estima
  • Les Saint Armand ©Miguel Estima
  • Les Saint Armand ©Miguel Estima

A noite de segunda-feira foi preenchida pelo folk dos portuenses Les Saint Armand. Apesar do nome francês, este grupo reconhecido pela música com raízes folk e pela canção de autor de dimensão coral privilegia o português na sua essência da palavra. O quinteto animou a famosa rampinha, nome que é dada à rua Formosa, local onde existe a maior concentração de diversão noturna da vila, criando uma atmosfera mística entre o habitual cliente da noite e o espectador de um concerto, que coabitaram no mesmo espaço de uma forma natural e simpática. A banda veio apresentar o novo disco de originais Na Memória da Paisagem, lançado na primavera deste ano.

Com novo disco, lançado também este ano, os Sensible Soccers encheram a emblemática escadaria da capela das Pereiras em Ponte de Lima. O duo de Vila do Conde, que agora se apresentam em formato quinteto, levaram os sons quentes e dançáveis da banda a um patamar superior com este Aurora. A hora de concerto passou muito rápido para a maioria do público que, sedentos de mais, pediram o encore. O melhor da pop nacional encheu as já belas escadarias, levando o habitual toque de dança a todos aqueles que aproveitaram para ver a banda em registo mais intimista, entre a presença no Neopop no fim de semana anterior e no regresso a Paredes de Coura.

Foi um encerrar em beleza de mais uma edição deste festival, que leva o público à descoberta de novas e interessantes sonoridades, não tendo uma linha sonora única, mas um mote único de animar o interessante centro histórico desta vila minhota.

Partilhar Artigo: