Revista Rua

2020-10-15T10:02:03+00:00 Cultura, Fotografia

Fotos do Prémio Estação Imagem 2020 na Casa da Imprensa

©José Sarmento Matos
Miguel Estima
Miguel Estima15 Outubro, 2020
Fotos do Prémio Estação Imagem 2020 na Casa da Imprensa

Os melhores trabalhos de fotografia distinguidos pelo Prémio Estação Imagem de 2020, anunciados em julho passado em Coimbra, estão expostos desde 6 de outubro até 6 de novembro na Casa da Imprensa, à semelhança do que tem acontecido desde 2015, ano em que a associação mutualista dos jornalistas portugueses copatrocinou pela primeira vez este galardão.

No Salão Nobre da Casa da Imprensa, na rua da Horta Seca, em Lisboa, estão expostas, entre segunda e sexta-feira, das 14:30 às 19:30, 73 fotografias que deram corpo aos trabalhos vencedores das diversas categorias desta 11.ª edição do Prémio.

Abandonando o sonho venezuelano é o título da reportagem do fotojornalista José Sarmento Matos, que venceu o Prémio Estação Imagem 2020. O trabalho “conta a história de uma família luso-venezuelana e a sua migração de regresso a Portugal”, em fuga da crise humanitária na Venezuela – onde vivem meio milhão de portugueses e luso descendentes –, e o recomeço da sua vida no país de origem.

Já na categoria Fotografia do Ano, o vencedor foi Leonel de Castro, fotojornalista da Global Imagens, com uma imagem obtida durante uma reportagem na cidade da Beira, em Moçambique, na sequência da destruição provocada pelo furacão Idai. Leonel de Castro venceu também na categoria Assuntos Contemporâneos e recebeu uma menção honrosa na categoria Vida Quotidiana, cujo prémio foi atribuído a Gonçalo Fonseca.

Nas restantes cinco categorias, o júri internacional – constituído pelo francês Patrick Chauvel (presidente), o português João Silva, o brasileiro Felipe Dana e o sul-africano Brent Stirton – premiou os fotojornalistas Rui Duarte Silva (Notícias), Ana Brígida (Artes e Espetáculos), Carlos Folgoso Sueiro (Ambiente), António Pedro Santos (Série de Retratos) e Rodrigo Antunes (Desporto).

Outras menções honrosas foram ainda atribuídas nas categorias de Fotografia do Ano (Ana Brígida), Notícias (João Porfírio) e Assuntos Contemporâneos (Sebastião Almeida).

A entrada na exposição é livre, mas a admissão é condicionada pelas limitações decorrentes do estado de contingência sanitária no país.

Partilhar Artigo: