Revista Rua

2019-04-30T14:40:41+00:00 Negócios

Ghome, uma marca portuguesa de consumo responsável

Bistro Rectangulo
Redação
Redação9 Abril, 2019
Ghome, uma marca portuguesa de consumo responsável

A Ghome apresenta um catálogo contemporâneo de mobiliário e acessórios para a casa, privilegiando o recurso a matérias-primas portuguesas e à produção local, com um modelo económico de base, com o intuito de não causar um impacto desnecessário no planeta.

Criada em 2016, a marca nacional distingue-se por assentar num modelo de negócio atento aos problemas verdadeiramente importantes do nosso tempo, com propostas de design capazes de melhorar significativamente as nossas vidas, sem criar qualquer impacto negativo no meio ambiente.

O banco Munge, o produto bestseller da marca, comprova o quanto os modelos de negócio atentos e responsáveis podem contribuir eficazmente como uma alternativa sustentável de mercado. Fabricado em pinho, a única madeira para a construção produzida em Portugal, apoia-se em três pernas – o mínimo indispensável para garantir a funcionalidade e o conforto – com um visual simples e vibrante. A filosofia que está na base do Munge é comum a todos os produtos da marca que estão à venda exclusivamente em www.ghome.pt.

Sendo uma marca online, é fundamental manter-se inteirada sobre todas as fases do processo, desde a produção à venda. A proximidade do fabrico assegura um ótimo controlo de qualidade, mas permite também a personalização consoante as preferências dos utilizadores. Na Ghome privilegia-se as entregas feitas artesanalmente pela marca, de forma a conseguir medir a satisfação de quem opta pela escolha dos seus produtos e receber o feedback que vai informar o desenvolvimento interno.

O consumo, enquanto necessidade, não é necessariamente mau, mas o seu impacto está relacionado com a oferta existente e com o modelo de negócio das empresas que desenvolvem os produtos disponíveis no mercado.

Gonçalo Prudêncio

“No caso da Ghome, o desenvolvimento de produto leva em conta premissas como: a origem dos materiais; o impacto da utilização das matérias-primas e das suas formas de transformação; a opção pela utilização de materiais locais que tenham um impacto reduzido no fim de vida dos mesmos”, garante o fundador e designer da marca, Gonçalo Prudêncio.

Partilhar Artigo: