Revista Rua

2019-09-20T17:37:31+01:00 Gastronomia, Sabores

Gil Fernandes, o homem das rédeas do Fortaleza do Guincho

Com apenas 28 anos, Gil Fernandes está à frente de um dos mais conceituados restaurantes portugueses.
Fotografia ©Pedro Sampaio Ribeiro
Andreia Filipa Ferreira20 Setembro, 2019
Gil Fernandes, o homem das rédeas do Fortaleza do Guincho
Com apenas 28 anos, Gil Fernandes está à frente de um dos mais conceituados restaurantes portugueses.

Com apenas 28 anos, Gil Fernandes tem um currículo de fazer inveja, evidenciando-o como um dos rostos da alta gastronomia portuguesa. Ao lado de Miguel Rocha Vieira, que agora abraça outros desafios, Gil Fernandes deu os primeiros passos no Guincho, tendo hoje a importante função de chef executivo de um dos melhores refúgios gastronómicos – e hoteleiros – com vista para o Atlântico.

Em primeiro lugar, gostaríamos de conhecer um pouco sobre as raízes do Gil Fernandes. Como é que o mundo da gastronomia se abre para si?

Sou de Ribamar da Lourinhã, uma terra de pescadores onde a refeição é um dos momentos mais altos do dia. Os meus pais têm uma pequena pastelaria, o que me alertou para o mundo bonito da gastronomia. Aos 14 anos iniciei os estudos na Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril e, aos 15, comecei a trabalhar numa quinta de casamentos. A partir daí, não parei de trabalhar e de estagiar em restaurantes, até aos dias de hoje. Passei pelo Vila Joya (Algarve, 2 estrelas Michelin), Martín Berasategui (Espanha, 3 estrelas Michelin), De Librije (Holanda, 3 estrelas Michelin), estagiei no Geranium (Dinamarca, 3 estrelas Michelin), Ocean (Algarve, 2 estrelas Michelin). Estes restaurantes e os chefs com quem me cruzei nestas etapas fizeram de mim o que sou hoje.

Com 28 anos, o Gil já tem, então, no currículo passagens por reputados restaurantes. No entanto, a chegada a chef executivo da Fortaleza do Guincho, depois de trabalhar com Miguel Rocha Vieira, é o maior desafio? Como encara esta nova fase da sua carreira?

Sem dúvida que é o desafio com mais responsabilidade que tive na minha carreira. Encaro-o com muita motivação e alegria, aliado a um grande espírito de equipa, e com uma grande vontade de demonstrar uma cozinha inovadora e criativa com sabores aprofundados.

Poderia descrever-nos a essência do restaurante Fortaleza do Guincho? O que mais o atrai nesta casa e o que, por certo, acredita que surpreenderá o visitante?

A essência da Fortaleza do Guincho tem a ver, primeiramente, com a sua localização privilegiada, rodeada de mar e com vista para a serra. Esta vista fascina-me e motiva-me para novas criações: um dos pontos que mais me atrai nesta profissão é a criatividade. Os produtos provenientes da natureza que envolve o restaurante são magníficos! Usamos produtos únicos e essa é a primeira regra – a escolha da melhor matéria-prima!

O nosso objetivo é cada vez mais surpreender, com uma experiência cada vez melhor e mais inovadora. Queremos que o nosso cliente saia com um sorriso, satisfeito, com histórias para contar.

©Pedro Sampaio Ribeiro

De que maneira descreveria a oferta gastronómica do Fortaleza do Guincho? A sua chegada a chef executivo trouxe novidades?

É uma oferta rica, focada no melhor produto. Uma experiência criativa e sazonal, baseada na cozinha portuguesa. Incidimos muito os nossos novos pratos nestes valores acima referidos, focados nos sabores da “comidinha da avó”. E vamos inovando, usando, por exemplo, várias ervas e flores selvagens colhidas por nós na serra.

Uma das principais valências do restaurante, para além da ementa, é a localização. Neste verão, que convite deixaria aos portugueses para usufruírem do Fortaleza do Guincho? É um refúgio que, a seu ver, deve fazer parte das opções de verão dos portugueses?

Sem dúvida! Convido-os a vir à Fortaleza do Guincho para aproveitar as nossas iguarias e o nosso serviço com uma boa vista. Afinal, há alguma coisa melhor que desfrutar de uma refeição única com o sol a pousar no oceano?

Partilhar Artigo: