Revista Rua

2021-03-05T16:11:22+00:00 Radar

Guimarães aposta na mobilidade entre concelhos vizinhos, com plano ambicioso

No programa constam diversos objetivos estipulados pela autarquia, dos quais se destacam dois: a ligação do sistema urbano do concelho ao sistema de transportes de Braga e a ligação à futura Estação Ferroviária de Alta Velocidade.
Redação23 Fevereiro, 2021
Guimarães aposta na mobilidade entre concelhos vizinhos, com plano ambicioso
No programa constam diversos objetivos estipulados pela autarquia, dos quais se destacam dois: a ligação do sistema urbano do concelho ao sistema de transportes de Braga e a ligação à futura Estação Ferroviária de Alta Velocidade.

A agenda de mobilidade para o concelho de Guimarães integra diversas iniciativas que visam a promoção da cidade enquanto “portal de entrada para o litoral do país e linha de alta velocidade”, segundo informações do Presidente da Câmara, Domingos Bragança.

No programa constam diversos objetivos estipulados pela autarquia, dos quais se destacam dois: a ligação do sistema urbano do concelho ao sistema de transportes de Braga e a ligação à futura Estação Ferroviária de Alta Velocidade (que deverá ficar instalada num local dentro da área comprometida entre Famalicão-Braga-Barcelos). Para além destas duas premissas, o programa visa a descarbonização, a sustentabilidade e a coesão territorial, pelo que a autarquia acredita que o cruzamento com a Agenda Ambiental é necessário para estruturar a visão de futuro para a cidade de Guimarães. “Estes projetos, que são estruturantes e ambiciosos, não se fazem de um dia para o outro. Primeiro necessitamos de bons estudos técnicos, depois de debate público, para que posteriormente se possa elaborar o projeto. Até 2024, este é o nosso caminho”, refere Domingos Bragança, acrescentando: “Estimamos que só para a parte que diz respeito a Guimarães sejam necessários cerca de 300 milhões de euros, o que representará um esforço de cerca de 60 milhões da contrapartida nacional que temos condições de repartir por cerca de 10 anos, num esforço anual que corresponderá a cerca de 6 milhões de euros”.

De recordar que Domingos Bragança viria a apresentar, em 2017, um plano ambicioso para a mobilidade, com o intuito de revolucionar o sistema de transportes no concelho e, consequentemente, a melhoria das ligações aos concelhos vizinhos. “Foi essa perseverança que fez com que, junto do atual Governo, eu tenha insistido na importância de ser estabelecida uma ligação por Tramway, em trilho ferroviário dedicado, entre Guimarães e Braga, projeto que viria a ter a anuência do meu colega Ricardo Rio, Presidente da Câmara de Braga”, refere Domingos Bragança. A par desta retoma do projeto, arrancaram também reuniões de trabalho entre equipas técnicas de ambas as autarquias, no sentido de iniciar os estudos necessários à execução da proposta. Segundo o Presidente da Câmara de Guimarães: “A Universidade do Minho presentou já um estudo preliminar que é preciso aprofundar, aprofundamento esse que carece da existência de um estudo completo para cada um dos sistemas urbanos das duas cidades, que permitirá a sua posterior ligação”. Sabe-se também que o estudo técnico da restruturação do sistema de mobilidade da cidade será entregue ao Professor Álvaro Costa.

A utilização de um sistema de MetroBus a interligar todo o concelho, circulando através de via delicada e também um sistema de linha ferroviária (Tramway), que permita a ligação entre Guimarães e Braga, assim como à futura Estação Ferroviária de Alta Velocidade são algumas das medidas advogadas pelo Edil. Domingos Bragança relembra a importância desta aposta na mobilidade do concelho, visando a integração das regiões do interior norte do país. “Esse será um trabalho fundamental para que uma autêntica revolução na mobilidade, com um projeto de mobilidade de futuro, descarbonizado, moderno e sustentável, possa tornar-se realidade”, termina o Presidente da Câmara de Guimarães.

Partilhar Artigo: