Revista Rua

2021-05-22T16:29:11+01:00 Cultura, Radar, Teatro

Guimarães conta com uma forte agenda cultural nos próximos meses

Dos emblemáticos Festivais Gil Vicente ao Lufada, há uma série de propostas culturais e artísticas para conhecer.
©Diana Mendes
Maria Inês Neto21 Maio, 2021
Guimarães conta com uma forte agenda cultural nos próximos meses
Dos emblemáticos Festivais Gil Vicente ao Lufada, há uma série de propostas culturais e artísticas para conhecer.

As artes preparam-se para agitar a cidade de Guimarães durante os próximos meses, com propostas culturais a não perder. A Oficina apresenta uma programação intensa e diversificada, destacando os Festivais Gil Vicente e Lufada, entre tantas outras iniciativas.

A agenda cultural abre com as artes performativas, recebendo os emblemáticos Festivais Gil Vicente que servem de ignição para a forte aposta d’A Oficina para os meses que se avizinham, promovendo a música e as artes visuais com lançamento de edições, propostas de cinema e teatro. Toda a atividade artística irá centrar-se nos vários espaços culturais geridos pel’A Oficina, nomeadamente: Centro Cultural Vila Flor (CCVF), Centre Internacional das Artes José de Guimarães (CIAJG), Casa da Memória de Guimarães (CDMG) e Loja Oficina.

A 1 de junho – no âmbito do Dia Mundial da Criança – A Oficina sugere a apresentação do espetáculo do novo circo CircOOnferência, da companhia Radar 360º, promovido em escolas e instituições do município. Considerado um ato de liberdade na reconstrução da História do Circo que foi escrito e interpretado com elementos de humor, riso e poesia, o espetáculo é transversal a todas as gerações, sendo que volta a ser apresentado no dia 31 de maio, ainda no mesmo contexto. No dia anterior, o espetáculo será apresentado no jardim do CCVF.

A agenda segue para os Festivais Gil Vicente que acontecem de 2 a 11 de junho, disseminando a arte do teatro pelo CCVF e pelo CIAJG, com horário marcado sempre às 19h30. Segundo o programador, Rui Torrinha, o Festival pretenderá dedicar maior protagonismo às novas gerações e à valorização de novas dramaturgias. Também a música estará em destaque no início do mês de junho, pelas mãos da pianista Joana Gama com As árvores não têm pernas para andar, num concerto dedicado às crianças de tenra idade que será apresentado entre 4 e 25 de junho em diversas escolas do concelho, reservando ainda os dias 14 e 15 para uma formação para professores acerca do processo de criação do espetáculo.

Passando para a segunda quinzena de junho, A Oficina arranca com uma série de concertos que acontecem ao final da tarde (sempre às 19h30) de cada sexta-feira, proporcionando momentos de lazer nos jardins do CCVF. A entrada é livre e está limitada à lotação do espaço. No dia 18 de junho o pianista e compositor Júlio Resende surge com um Ensemble da Orquestra de Guimarães para um espetáculo apresentado no âmbito da programação em rede, que tem vindo a ser desenvolvida pelo Quadrilátero Cultural.

A 25 de junho arranca a tão esperada Lufada que apos uma primeira edição esgotada (em 2020) promete provocar fortes momentos de descompressão ao ar livre, ao longo de três semanas. Novamente aos finais de tarde, os dias 25 e junho e 2 e 9 de julho estão reservados concertos do talento do duo de músicos de jazz portugueses, Bruno Santos e Ricardo Toscano, que irão apresentar o projeto Backyard Sessions. Segue-se Bruno Pernadas que irá assinalar o regresso às edições com Private Reasons num concerto muito aguardado. Destaque ainda para Surma que, para além da sua voz doce e da parafernália de instrumentos aos quais já nos habituou, surge em pleno jardim do CCVF acompanhada por João Hasselberg no contrabaixo e eletrónicas e Pedro Melos Alves na bateria e percussões. Junho reserva ainda tempo para as artes visuais, com a inauguração de Ainda há Beleza, uma exposição de cerâmica e têxteis de Maria Carvalho, no dia 19.

©Alípio Padilha

Em julho, o teatro volta a mostrar-se nos dias 3 e 4 com quatro novas criações do Gangue de Guimarães promovidas pelo PACT (Plano de Apoio à Criação Territorial), com assinatura de Manuela Ferreira, Rita Morais, Tânia Dinis e Gil Mac.

Os próximos meses reservam várias propostas culturais e lúdicas, nomeadamente formações para professores, oficinas artísticas para os mais novos, visitas orientadas às exposições, projetos que envolvem as escolas e as instituições de Guimarães e ainda as oficinas criativas de Férias de Verão: reservadas de 12 a 16 de julho). De relembrar que continua a ser possível visitar e descobrir as recém-inauguradas exposições do CIAJG, do Palácio Vila Flor, da Casa da Memória e da Loja Oficina.

A programação cultural pode ser conhecida na íntegra no site d’A Oficina.

Partilhar Artigo: