Revista Rua

2020-12-30T14:33:12+00:00 Cultura, Teatro

Hedda Gabler – entre a constante busca pela liberdade e o julgamento dos homens

Devido à restrição de circulação no concelho de Lisboa, a peça Hedda Gabler estará em cena hoje na Sala Macau do Museu do Oriente.
Cláudia Paiva Silva30 Dezembro, 2020
Hedda Gabler – entre a constante busca pela liberdade e o julgamento dos homens
Devido à restrição de circulação no concelho de Lisboa, a peça Hedda Gabler estará em cena hoje na Sala Macau do Museu do Oriente.

Devido à restrição de circulação no concelho de Lisboa, a peça Hedda Gabler, uma das mais icónicas do autor Henrik Ibsen, estará em cena hoje, pelas 19 horas, na Sala Macau do Museu do Oriente.

Publicada pela primeira vez em 1890 em Londres e representada inicialmente em 1891 em Munique, a peça revela o mundo das traições e aspirações pessoais, atravessando qualquer século, década ou geração. As conquistas mundanas e o que fazemos para conseguir chegar aos nossos desejos, mas também todas as consequências dos nossos atos são aqui relevadas.

Numa leitura psicológica, Hedda Gabler é uma peça/personagem que quer viver, mais do que tudo, livre das amarras de uma sociedade e de qualquer papel onde o homem tem domínio total sobre as suas escolhas, possuindo uma sensibilidade imensa, mas ao mesmo tempo destrutiva para aqueles que a rodeiam. É também uma peça trágica, onde o desfecho está no entanto e ironicamente ligado a essa visão de liberdade para além de qualquer limite, a morte. E, contudo, parecendo um lugar-comum, é toda a Vida que se condensa em frágeis momentos em que tudo pode mudar.

Com o apoio do Ministério da Cultura em co-produção da Câmara Municipal da Figueira da Foz, tem encenação de Bernardo Beja, com interpretações de na Catarina Santos, Beatriz Epifânio, Cláudia Alfaiate, Fábio Batista, Francisco Pereira de Almeida, Gonçalo Botelho e Rita Rocha.

Partilhar Artigo: