Revista Rua

2020-03-11T12:14:00+00:00 Negócios

Hommés Studio, a procura constante pelo efeito wow!

Com tradição e modernismo, com inspirações do passado, com nuances de art decó, de art nouveau, movimentos da Bauhaus e componentes artísticas contemporâneas, a Hommés Studio tem no acompanhamento do cliente o seu grande foco.
João Matias, Bruno Costa, Micael Carvalho e Hélder Marques ©Nuno Sampaio
Andreia Filipa Ferreira
Andreia Filipa Ferreira11 Março, 2020
Hommés Studio, a procura constante pelo efeito wow!
Com tradição e modernismo, com inspirações do passado, com nuances de art decó, de art nouveau, movimentos da Bauhaus e componentes artísticas contemporâneas, a Hommés Studio tem no acompanhamento do cliente o seu grande foco.

Se nos pedissem para adjetivarmos a Hommés Studio, um atelier de design de produto e interiores com casa no Porto (e presença também em Barcelona e UK), diríamos que são quatro cavaleiros numa aventura de procura constante de elegância, conforto e identidade, uma identidade que deriva entre passado e futuro em busca do chamado efeito wow. Criando peças que valorizam qualquer design de interiores, com coleções que vão desde linhas mais vintage até sugestões completamente out of the box, a Hommés Studio é uma marca que procura responder àquilo que ainda não sabemos que nos falta. Numa tentativa de preencher as lacunas presentes no mercado a nível de design de interiores, estes quatro cavaleiros foram juntando membros à sua equipa e hoje, do seu pequeno estúdio na invicta, saem projetos para todo o mundo. O ADN principal? Um mix de tendências, de influências, de interpretações – tudo na mesma peça.

“[A nossa missão] é procurar o que é belo, aquilo que nos seduz… para conseguirmos seduzir também o cliente”

Para darmos a conhecer a essência da Hommés Studio temos de, obrigatoriamente, começar pelo início: há poucos meses, Micael Carvalho (a creative mind) e Hélder Marques (o expert em storytelling e branding) juntaram-se com um objetivo que, contado, parece simples: encontrar as necessidades dos clientes em termos de design de interiores e propor peças que façam parte da solução. A esta missão juntou-se João Matias (o designer entusiasta por inovação que tira as ideias do papel) e Bruno Costa (o bestfriend dos clientes). Juntos, reinterpretam clássicos, misturam tendências e autointitulam-se como “fashion advisors de interiores”. São autênticos trendsetters que, com o foco no cliente, seja ele particular ou envolvido em projetos hoteleiros e não só, aventuram-se no maravilhoso mundo que a imaginação cria. “O nosso conceito surge no sentido de perceber o que falta a nível de design, a nível de preço, a nível de studio. Sobretudo, marcamos a diferença na forma como apresentamos a necessidade ao cliente. Não queremos dizer que o cliente ainda não tem ‘isto’. O que queremos mostrar é que podemos melhorar esse ‘isto’ ao ponto de o cliente perceber que sente falta, que aquele produto faria sentido”, conta-nos Hélder, aproveitando para explicar melhor as coleções que compõem a marca: “Começámos o studio com uma coleção mais dedicada aos acessórios para a casa, com velas [coleção Arrogâncias] e outras sugestões que vamos agora adicionando à coleção. Depois, a coleção vintage coloca em evidência a nossa responsabilidade social, com uma parte de recuperação, de regresso às tradições, aos clássicos. Já a coleção Scandalô é precisamente sobre produtos statement, que faltam ao mercado e que resultam de uma mistura de estilos e de culturas. A coleção Oversized apresenta os produtos bold e, ao mesmo tempo, softness, que cabem no exterior dos projetos”, refere. Dando importância às identidades criadas nas coleções cápsula, Hélder fala-nos de um feedback positivo, com clientes-tipo que procuram as sensações únicas, as peças personalizadas e criativamente provocativas. “Já existem pessoas interessadas no nosso produto em vários pontos do mundo, ou seja, já conseguimos espelhar a Hommés a nível internacional, o que era o nosso foco”, destaca Hélder, referindo ainda que, apesar da íntima relação com produtores e técnicas portuguesas, o grande mercado é o internacional – daí a mistura de culturas num único produto. “Para o período de tempo em atuação, estou bastante satisfeito com os resultados da nossa comunicação. Ainda estamos a reunir forças, ainda estamos na fase de aquecimento, mas acredito que em 2020 tenhamos uma boa projeção no mercado”, remata.

Equipa completa da Hommès Studio ©Nuno Sampaio

Idealizando já coleções que envolvam acessórios para animais e até coleções sustentáveis, preocupadas com o meio ambiente, a Hommés traz ideias arrojadas, irreverência e sofisticação numa missão: “procurar o que é belo, aquilo que nos seduz… para conseguirmos seduzir também o cliente”.

Com tradição e modernismo, com inspirações do passado, com nuances de art decó, de art nouveau, movimentos da Bauhaus e componentes artísticas contemporâneas, numa real mistura de ingredientes que impulsiona o processo criativo, a Hommés Studio tem no acompanhamento do cliente e no estudo das características dos mercados o seu grande foco. Parece que nada é deixado ao acaso: da ideia de Micael surge a materialização de João, os contactos de Bruno e as histórias de Hélder, numa odisseia que só acaba quando o cliente diz “sim!”. E mesmo aí pode existir um novo ponto de partida… porquê? Porque há sempre um motivo para reinventar. E um bocadinho de ousadia nunca fez mal a ninguém!

Partilhar Artigo: