Revista Rua

2019-02-11T12:18:25+00:00 Cultura, Música

Irreversible Entanglements – o Free Jazz em letras grandes

©Miguel Estima
Miguel Estima
Miguel Estima11 Fevereiro, 2019
Irreversible Entanglements – o Free Jazz em letras grandes

Na passada quarta-feira, na Black Box do gnration, em Braga, decorreu o último concerto em terras lusas do coletivo americano Irreversible Entanglements. Mais do que o Free Jazz é o poder da palavra, o discurso, esse ligado a temáticas das comunidades marginalizadas, aliadas à brutalidade e perseguição policial que Camae Ayewa extravasa em palco juntamente com a  formação que era constituída pelo saxofonista Keir Neuringer, o contrabaixista Luke Stewart, o trompetista Aquiles Navarro por fim o baterista Tcheser Holmes.

Uma noite que serviu de apresentação do disco homónimo de 2017, onde a mistura da palavra e da música ganharam nova dimensão, não existindo uma “gaveta” própria para um estilo concreto. Hoje, um projeto como o dos Irreversible Entanglements, entra na liberdade própria com uma identidade carismática e única.

Partilhar Artigo:
Fechar