Revista Rua

2021-07-14T11:07:01+01:00 Opinião

Janela de Aluguer

Uma comédia feminina onde as verdades sobre a idade imperam e onde há espaço para as discutir e rir à gargalhada.
Cláudia Paiva Silva
14 Julho, 2021
Janela de Aluguer

Dizem que os 40 são os novos 30… Mas e os 50? Inserem-se onde? Num mundo onde os padrões de beleza e de idade são escrutinados e debatidos todos os dias, onde as redes sociais e as edições de imagem (e dos corpos femininos) imperam, que espaço sobra realmente para as mulheres maduras e reais? Se pensarmos bem, um homem mais velho torna-se, quanto muito, charmoso. Já uma mulher, se “não tiver cuidado”, passa ao lado. É preciso muito trabalho e paciência para mudar o status quo e tudo aquilo que a sociedade ainda nos obriga a pensar. Se a peça Monólogos da Vagina leva a uma atualização (de mulheres e muitos homens também) sobre a sexualidade feminina, acabando por falar também sobre todos os temas inerentes à condição da Mulher, Janela de Aluguer poderá ser igualmente um texto cómico que nos faz refletir sobre o amadurecimento feminino, sobre a transição da idade, sobre a meno(e andro)pausa e suas consequências ou características tão peculiares, nunca na perspetiva de uma finitude, mas sim na perspetiva de que existe toda outra metade de uma vida por conhecer. Talvez os olhos se tornem mais sábios, mas também as linhas de expressão que os acompanham, talvez já não se tenha o corpo tão firme, e se comecem a denotar os sinais da gravidade, mas ganha-se a experiência para perceber o que se quer e mais importante o que não se quer, independentemente das tais inseguranças que ao longo da vida nos acompanharam. Entre as duas personagens, Laura (Rosa Villa) e Teresa (Paula Marcelo), podemos sentir a proximidade com tantas das suas angústias como das suas experiências, pode o público perceber que a vida real é mesmo a vida que está ali a ser representada – porque o Teatro é isso mesmo. Uma janela, não alugada, que faz a transição entre palco e plateia, geralmente para nos fazer pensar no que nos rodeia.

Janela de Aluguer, texto de Suzana Rodrigues, adaptado por Miguel Dias e encenação das atrizes Paula Macedo e Rosa Villa e produção da AliArte estará em cena sextas e sábados de julho no teatro Independente de Oeiras, dias 7 e 8 de agosto no Teatroesfera em Queluz (inserido no Festival Teatro ao Luar) e dia 15 de agosto na Associação dos Amigos do Pinhal do General em Fernão Ferro.

Partilhar Artigo: