Revista Rua

2019-02-28T11:46:04+00:00 Gastronomia, Sabores

Josean Alija e Diogo Rocha: uma fusão de sabores (e saberes) à Mesa de Lemos

Fotografias ©Nuno Sampaio
Andreia Filipa Ferreira
Andreia Filipa Ferreira11 Fevereiro, 2019
Josean Alija e Diogo Rocha: uma fusão de sabores (e saberes) à Mesa de Lemos

No passado fim de semana, a Mesa de Lemos recebeu mais um ciclo gastronómico Chefs a Lemos, em Viseu. Desta vez, o convidado do chef da casa, Diogo Rocha, foi o premiado Josean Alija, um chef com uma história peculiar que protagonizou uma autêntica fusão de sabores entre Portugal e Espanha no restaurante da Quinta de Lemos.

As vinhas foram o pano de fundo para uma verdadeira odisseia na cozinha. De um lado, Diogo Rocha, o chef que desde 2014 comanda as rédeas do Mesa de Lemos, e, de outro, Josean Alija, o chef do restaurante Nerua, localizado no Museu Guggenheim em Bilbao e consagrado com uma estrela Michelin em 2011. Mas atenção: não há costas voltadas nem há duelo! Este encontro de titãs só tinha um objetivo: uma fusão gastronómica capaz de surpreender os paladares mais exigentes.

Resultado de um convite do chef Diogo Rocha, este encontro que colocou lado a lado a cozinha portuguesa e a cozinha basca trouxe à mesa propostas que lembravam tradições e, ao mesmo tempo, convidavam a abraçar a irreverência. Míscaros, robalo, porco bísaro, línguas de bacalhau e foie gras foram apenas alguns destaques do menu eclético que garantiu casa cheia.

“Foi um convite muito tentador, sobretudo porque me permite conhecer uma parte de Portugal e isso é sempre positivo. É sempre importante estreitar relações com um cozinheiro como o Diogo Rocha. E eu nunca cozinhei num ambiente de uma quinta de vinhos, portanto, é uma oportunidade de saber mais”, disse-nos o chef espanhol. Afirmando ter trazido a Viseu o seu ADN, uma cozinha de autor que, mesmo que olhe às tradições, é “contemporânea, criativa e de vanguarda”, Josean Alija procurou mostrar neste ciclo gastronómico alguma inspiração da cozinha basca, apesar de carimbar uma interpretação muito própria nos pratos. “Neste tipo de eventos, é bonito ver a mescla de cozinhas – e nesse ‘choque’ dá-se uma experiência importante para o cliente. Penso sempre que cozinhar em parelha é uma maneira de aprender com outros. Neste caso, uma maneira de entender o que Portugal privilegia em termos de gastronomia. Também é uma oportunidade de me divertir, mas sobretudo é uma mais-valia para os clientes, que vivem uma experiência única e irrepetível”, garantiu o chef do Nerua.

Josean Alija é um chef irreverente e com uma história peculiar. Depois de um acidente de mota em 2000, que o deixou em coma durante 21 dias, o chef perdeu o olfato e o paladar. Mas a paixão pela gastronomia fê-lo começar tudo de novo, aprendendo aromas e sabores como se tivesse feito um reset à sua vida. Viajando pelo mundo, Josean Alija foi aperfeiçoando a sua cozinha e implementando condimentos de toda a parte, num verdadeiro portefólio de experiências. Relativamente ao nosso país, o chef assume que “Portugal e Espanha não são assim tão diferentes”, destacando até a existência de produtos marcantes em comum.

Conheça melhor o chef Diogo Rocha e a Mesa de Lemos na próxima edição da Revista RUA. 

Partilhar Artigo: