Revista Rua

2019-03-21T15:33:35+00:00 Gastronomia, Sabores

Le Babachris: Um ingrediente secreto? O amor!

Fotografia ©Nuno Sampaio
Andreia Filipa Ferreira
Andreia Filipa Ferreira16 Março, 2019
Le Babachris: Um ingrediente secreto? O amor!
Fotografia ©Nuno Sampaio

Se o amor tivesse um sabor, daqueles que a memória gustativa nunca esquece, Christian Rullán seria o explorador que, por entre mares, teria encontrado o caminho para o encontrar. Em cidade de conquistadores, num ambiente acolhedor bem no coração do berço de Portugal, o Le Babachris é uma autêntica história de amor: a Bárbara, amor maior de Christian; a Guimarães, cidade que deixou Christian rendido; e à gastronomia, que Christian abraça na perfeição.

Christian Rullán é um homem de sotaques. Nascido no nordeste de França, traz no seu currículo a passagem pelo icónico Lenôtre parisiense. Passou grande parte da sua vida nas Ilhas Baleares, mais propriamente em Maiorca, e há cerca de quatro anos, incentivado por Bárbara, decidiu conhecer Guimarães. Apaixonado pela atmosfera medieval, de castelos e muralhas, de ruas que eternizam um passado de reis e rainhas, Christian quis ali dar início a um projeto que deseja ser “diferente”: o Le Babachris, um restaurante na Rua D. João I, composto por duas salas de jantar, perfazendo 36 lugares, com uma decoração intimista, acolhedora e, acima de tudo, inspiradora – não fosse o Le Babachris sinónimo de inspiração.

A inspiração do Le Babachris surge da cozinha francesa e mediterrânica, apesar dos toques subtis da tradição vimaranense invadirem, sempre que possível, os pratos do chef Christian Rullán. “Quando viemos para Guimarães, começamos por pesquisar a cultura gastronómica existente e percebemos que podíamos criar um conceito um pouco diferente, um conceito que tivesse por base as minhas experiências pelo mundo”, refere o chef, destacando o seu menu de degustação e, principalmente, a sua filosofia de “menu seis inspirações”, que permite surpreender o paladar do cliente. Privilegiando os produtos de época, o menu do Le Babachris é mutável, aguçando, de duas em duas semanas, ainda mais a surpresa. “Funcionamos como uma escola porque formamos os paladares das pessoas. A ideia do Le Babachris é que seja um restaurante que promova experiências exclusivas. Para quem quer sair um pouco do quotidiano, existe o Le Babachris!”, assegura o chef Christian. “A inspiração, procura de essência e simbiose com a equipa dão fruto à nossa cozinha”, acrescenta, destacando a importância da “família” que compõe a equipa do restaurante.

“A ideia do Le Babachris é que seja um restaurante que promova experiências exclusivas. Para quem quer sair um pouco do quotidiano, existe o Le Babachris!”, afirma Christian Rullán.

Fotografia ©Nuno Sampaio

Transformando o momento da refeição num ato único e apaixonante, o Le Babachris apresenta ainda uma carta de vinhos que vangloriam a riqueza vinícola nacional, principalmente as quintas menos presentes no panorama da restauração. “Dividimos a carta de vinhos entre Vinhos Premium (que são os topo de gama nacionais) e os Vinhos À Descoberta (que são os que provêm de quintas menos consagradas)”, explica Pedro, o responsável pelo planeamento desta carta.

Numa busca incessante pela perfeição do sabor que leva aos pratos, preferindo por isso produtos provenientes de agricultura biológica, o chef Christian Rullán destaca o amor como o ingrediente central do sucesso do Le Babachris: “Eu sem ter amor ao meu trabalho não posso cozinhar bem. E é esse amor que levo para os pratos. Quero que o Le Babachris seja uma experiência de emoção, de alegria!”.

Partilhar Artigo:
Fechar