Revista Rua

2019-04-18T11:09:07+00:00 Cultura, Radar, Teatro

Maio de teatro no CCVF

O encenador Tiago Rodrigues apresenta "Sopro" e "Como ela morre" no início de maio, em Guimarães.
Como ela morre ©Filipe Ferreira
Redação
Redação18 Abril, 2019
Maio de teatro no CCVF
O encenador Tiago Rodrigues apresenta "Sopro" e "Como ela morre" no início de maio, em Guimarães.

Por Daniela Veiga

No mês de maio, o teatro tem lugar cativo no Centro Cultural de Vila Flor, em Guimarães, com a apresentação de dois magníficos espetáculos da autoria de Tiago Rodrigues. Ator, dramaturgo, encenador e atual diretor artístico do Teatro D. Maria II, Tiago Rodrigues apresenta, nos dias 4 e 5 de maio, as suas mais recentes criações: Sopro e Como ela morre.

Sopro ©Christophe Raynaud de Lage

Cristina Vidal, uma das protagonistas de Sopro, foi durante 25 anos ponto do Teatro D. Maria II. Com a entrada de Tiago Rodrigues na direção do Teatro, Cristina que até então nunca tinha aparecido ao público, passou a entrar em cena à luz dos holofotes.

Segundo o jornal francês Le Figaro, esta peça de teatro foi vista como “uma homenagem vibrante ao teatro e aqueles que o fazem”. Cristina Vidal, guardiã de uma profissão em vias de extinção, aparece pela primeira vez em palco acompanhada por cinco magníficos atores – Beatriz Brás, Isabel Abreu, João Pedro Vaz, Sofia Dias, Vítor Roriz – e centenas de fantasmas. O Sopro evoca histórias reais e imaginárias de um teatro que se encontra em ruínas.  A apresentação está marcada para dia 4 de maio às 21h30.

Como ela morre ©Filipe Ferreira

Domingo, dia 5 de maio, o Grande Auditório do CCVF vai encher-se de aplausos para receber Como ela morre, uma coprodução internacional do Teatro Nacional D. Maria II com a companhia belga tg STAN.

Como ela morre reflete sobre o amor, a traição ou a felicidade, a partir da história de dois casais em crise, um português (Isabel Abreu e Pedro Gil) e outro belga (Jolente de Keersmaeker e Frank Vercruyssen) com Anna Karenina pelo meio. As duas histórias correm em paralelo, em espaços e tempos diferentes, mas unem-se pela leitura simultânea do livro em palco.

Como ela morre ©Filipe Ferreira

Paralelamente ao seu trabalho em teatro, Tiago Rodrigues, escreveu argumentos para filmes e séries televisivas, artigos, poesia e ensaios. As suas mais recentes criações deram-lhe reconhecimento internacional e diversos prémios a nível nacional e internacional.

By Heart, António e Cleópatra, Bovary, Como ela morre e a sua última criação, Sopro, estreada no Festival d’Avignon 2017, são algumas das suas obras mais notáveis.

Os bilhetes para estes dois espetáculos têm o custo individual de 7,5 euros. Para quem quiser assistir aos dois espetáculos tem a possibilidade de adquirir um bilhete conjunto para assistir a ambas as peças pelo valor de 10 euros.

Os bilhetes estão à venda nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor, do Centro Internacional das Artes José de Guimarães e da Casa da Memória de Guimarães, bem como na internet em www.ccvf.pt e em oficina.bol.pt.

Partilhar Artigo: