Revista Rua

2021-07-20T14:24:31+01:00 Cultura, Música, Outras Artes

Mapas Natureza: Música e arte para traçar novas rotas pelo interior português

Apontado para o cruzamento intergeracional, o programa do evento dedicará uma atenção especial para as actividades familiares e de encontro.
Bia Maria©D.R.
Redação20 Julho, 2021
Mapas Natureza: Música e arte para traçar novas rotas pelo interior português
Apontado para o cruzamento intergeracional, o programa do evento dedicará uma atenção especial para as actividades familiares e de encontro.

Serão mais de 50 artistas, da música às artes plásticas, a percorrerem dez destinos naturais portugueses num programa que propõe o encontro entre a natureza, as comunidades e as artes. A ter lugar entre julho e outubro deste ano, o Mapas Natureza vai levar concertos, criação colaborativa, instalações, documentários, piqueniques, caminhadas performativas e actividades a Sicó/Alvaiázere, Serra da Estrela, Serra da Lousã, Geopark Naturtejo, Vouga-Caramulo, Serra d’Aire e Candeeiros, Malcata, Açor, Vale do Côa e Gardunha.

Com um formato concebido especificamente para se realizar ao ar livre e cumprindo as regras de segurança determinadas pelas autoridades de saúde, o programa itinerante do Mapas Natureza irá prolongar-se por dez fins-de-semana, junto a valores de património natural e cultural classificados nos municípios integrados no projecto. Partindo das histórias dos territórios e das pessoas que nele habitam, foram criados quatro documentários (pessoas-mapas) em cada uma das localidades, que serão exibidos ao longo de projecto sempre com tradução em língua gestual. Paralelamente, será lançado um projecto de Rostografia que retrata caras e desejos dos habitantes dos territórios abrangidos. Serão ainda criados marcos visuais em criações que envolvem nomes como Telmo Silva,  Pedro Novo, Gustavo Ciríaco,  Beatriz Rodrigues, Colectivo Til, Patrick Hubmann, Edgar Costa e Tenório.

Tó Trips©Raquel Castro

No campo da música, há espaço para concertos em nome próprio com nomes como B Fachada, Lula Pena, Samuel Úria, Catraia, Tó Trips, Danças Ocultas, Dada Garbeck, Omiri e Criatura, entre outros, e abrem-se palcos para cruzamentos entre grupos locais e músicos de outras paragens. Paul Johnson + Comunidade de Maçãs de Dona Maria; Dada Garbeck + Associação Raiz de Trinta; Cabrita + André Louro; Ricardo Martins + Grupo de Bombos de Lavacolhos; Ana Bento + Associação Recreativa e Cultural de Carvalhal de Vermilhas; Labaq + Pedro Melo Alves; Bia Maria + Filarmónica Pedroguense ou Lavoisier + Filarmónica da Bendada são algumas das somas de criação propostas pelo Mapas Natureza.

Tendo como objetivo contribuir para a dinamização da economia local e da procura turística das áreas naturais classificadas da região Centro de Portugal, o Mapas Natureza vai ainda identificar um conjunto de trilhos pedestres, a serem activados por caminhadas performativas criadas e orientadas por nomes como Carlota Lagido, Catarina Reis ou a Associação Lagarto.

Apontado para o cruzamento intergeracional, o programa do evento dedicará uma atenção especial para as actividades familiares e de encontro. Piqueniques com activações do projecto Jogos do Hélder e propostas para brincar em espaço natural orientadas pelos projectos Brincar na Rua, o Geopark Estrela ou os Catrapum Catrapeia são alguns dos atractivos do programa dedicado aos mais novos.

Dar eco a uma narrativa do real que, a partir da memória do indivíduo e da vida se guia pela arte, é esta a missão desta primeira edição do Mapas Natureza. Promovido pela iNature, o programa completo poderá ser consultado aqui.

Partilhar Artigo: